Metro do Porto diminui prejuízo em 29% em 2017

Foram contabilizados mais de 60 milhões de clientes em 2017, um ano que a gestora do metropolitano do Porto diz ter obtido “resultados históricos”

Metro do Porto, trânsito rápido, Porto, Póvoa de Varzim, Comboio, transporte ferroviário, Gondomar, Portugal
Foto
Nelson Garrido

A empresa Metro do Porto encerrou 2017 com um prejuízo de 96,7 milhões de euros, o que traduz uma melhoria de 29% face a 2016, tendo pela primeira vez transportado mais de 60 milhões de passageiros, segundo o relatório e contas hoje aprovado.

Em comunicado, a Metro do Porto reporta uma melhoria de 10,6% dos resultados operacionais, que ainda assim foram negativos em 39,9 milhões de euros, e uma subida de 50% dos resultados antes de juros, impostos, amortizações e depreciações (EBITDA), para 19,2 milhões de euros.

De acordo com os dados do relatório e contas de 2017, a receita anual da Metro do Porto aumentou 8,8%, para mais de 46,7 milhões de euros, enquanto os custos operacionais directos aumentaram apenas 0,1%, totalizando 38 milhões de euros.

"Em resultado da variação dos dois valores, a taxa de cobertura directa atingiu o valor inédito de 119,7%, mais 9,1 pontos percentuais do que em 2016", destaca a empresa.

No total, em 2017 foram contabilizados mais de 60 milhões de clientes, correspondendo a um total de 60,6 milhões de validações, mais 2,6 milhões do que em 2016.

Para a Metro do Porto, que em 2017 celebrou 15 anos de operação, estes são "resultados históricos" que traduzem "uma evolução inédita dos seus indicadores financeiros" e "reflectem a constante e crescente procura" e "a confiança dos clientes" neste serviço de transporte, "reforçando o crescimento evidenciado em 2016".