Prisão efectiva para homem que abusou de vizinho menor

Os abusos ocorreram em 2015, na residência do arguido numa freguesia de Ílhavo. De acordo com a Polícia Judiciária, o suspeito "aproveitou a relação de vizinhança com o rapaz" para obter a sua confiança.

Judiciário, Polícia Judiciária
Foto
O arguido foi detido pela PJ de Aveiro em 2015 Fábio Augusto/arquivo

O Tribunal de Aveiro condenou nesta quarta-feira a quatro anos e meio de prisão efectiva um homem de 50 anos, por ter abusado sexualmente de um rapaz de 13 anos, seu vizinho.

Durante a leitura do acórdão, o juiz presidente disse que "a generalidade da acusação foi dada como verdadeira", adiantando que o arguido cometeu o crime de abuso sexual de crianças de que vinha acusado. "Este é um crime grave, severo", sublinhou o magistrado, explicando que o tribunal decidiu não suspender a pena, porque "não houve arrependimento, nem ressarcimento da conduta".

Além da pena de prisão, o arguido terá de pagar cinco mil euros à mãe da vítima, que se constituiu como assistente no processo. O arguido, que se encontra em liberdade, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro, em 2015. Na altura da detenção, a PJ referiu que os abusos ocorreram em 2015, na residência do arguido, situada numa freguesia de Ílhavo. 

De acordo com os investigadores, o suspeito "aproveitou a relação de vizinhança com o rapaz para conseguir estabelecer afinidade com ele e assim obter a sua confiança", tendo aliciado o menor com recurso a contrapartidas pecuniárias.