Restaurante Osteria Francescana volta a ser eleito o melhor do mundo

O primeiro prémio é entregue pela segunda vez ao restaurante italiano localizado em Modena.

,
Foto
Reuters/VINCENT WEST

Está escolhido o melhor restaurante do mundo de 2018. A lista dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo foi conhecida nesta terça-feira e o primeiro lugar foi entregue ao restaurante Osteria Francescana, de Modena (Itália). A casa do chef Massimo Bottura recupera assim a distinção conquistada em 2016, quando também foi eleito como o melhor.

PÚBLICO -
Foto
Massimo Bottura, "chef" do Osteria Francescana Tony Gentile/Reuters

Em 2017, tinha caído para o segundo lugar, perdendo a liderança para o nova-iorquino Eleven Madison Park, do chef Daniel Humm, que este ano acabou por cair três lugares, ficando em quarto lugar. El Celler de Can Roca, em Girona, Espanha, e o Mirazu, em Montreal, no Canadá, ocupam as segunda e terceira posições.

O restaurante Disfrutar, em Barcelona, foi uma das surpresas, com uma entrada directa para o top 20. Já a maior subida é a do restaurante japonês Den, que escalou da 45.ª para 17.ª posição.

Eis a lista completa dos melhores restaurantes do mundo:

  1. Osteria Francescana — Itália
  2. El Celler de Can Roca — Espanha
  3. Mirazu — Montreal, Canadá
  4. Eleven Madison Park — Nova Iorque, EUA
  5. Gaggan — Banguecoque, Tailândia
  6. Central — Lima, Peru
  7. Maido — Lima, Peru
  8. Arpege — Paris, França
  9. Mugaritz — País Basco
  10. Asador Etxebarri — País Basco
  11. Quintonil — Cidade do México, México
  12. Blue Hill — Nova Iorque, Estados Unidos
  13. Pujol — Cidade do México, México
  14. Steirereck — Viena, Áustria
  15. White Rabbit — Moscovo, Rússia
  16. Piazza Duomo — Alba, Itália
  17. Den — Tóquio, Japão
  18. Disfrutar — Barcelona, Catalunha
  19. Geranium — Copenhaga, Dinamarca
  20. Melbourne’s Attica — Austrália
  21. Alain Ducasse au Plaza Athenee — Paris, França
  22. Narisawa — Tóquio, Japão
  23. Le Calandra
  24. Ultravioleta — Shangai
  25. Cosme — Nova Iorque, Estados Unidos
  26. Le Bernardin — Nova Iorque, Estados Unidos
  27. Borago — Santiago, Chile
  28. Odette — Singapura
  29. Alleno Paris Au Pavillon — Paris, França
  30. D.O.M — São Paulo, Brasil
  31. Arzak — San Sebastián, País Basco
  32. Tickets — Barcelona, Catalunha
  33. The Clove Club — Londres, Reino Unido
  34. Alinea — Chicago, Estados Unidos
  35. Maaemo — Oslo, Noruega
  36. Reale — Castel di Sangro, Itália
  37. Tim Raue — Berlim, Alemanha
  38. Astrid y Gaston — Lima, Peru
  39. Septime – Paris, França
  40. Nihonryori Ryugin – Tóquio, Japão
  41. Ledbury – Londres, Reino Unido
  42. Azurmendi — País Basco
  43. Mikla – Istambul, Turquia
  44. Dinner by Heston – Reino Unido
  45. Saison – São Francisco, Estados Unidos
  46. Schloss Schauenstein — Suíça
  47. Hisa Franko — Eslovénia
  48. Nahm – Banguecoque
  49. Test Kitchen - Cape Town – África do Sul

Já na semana passada tinham sido divulgados os restaurantes da segunda parte da lista, do número 51 ao 100. O português Belcanto, do chef José Avillez, figura na 75.ª posição. 

Para além da distinção dos 50 melhores restaurantes do mundo, a cerimónia serviu para entregar três outros prémios: SingleThread foi o vencedor do Miele One to Watch, destinado a reconhecer casas que estejam entre os lugares 51 e 100 da lista e apresentem potencial para entrarem no top 50 num futuro próximo. Foi também distinguida a melhor chef, Clare Smyth. Já o restaurante dinamarquês Geranium, que ficou em 19.º lugar, foi ainda distinguido com o prémio de melhor hospitalidade.

A cerimónia de entrega dos prémios, que foram criados pela revista britânica Restaurant, decorreu em Bilbau, no País Basco, “umas das melhores regiões gastronómicas da Europa”, nas palavras da organização.

Mark Durden-Smith foi o apresentador da noite, numa cerimónia onde a diversidade de sabores foi representada por um jogo de cores e viagens gastronómicas pelos melhores restaurantes. A morte de Anthony Bourdain não foi esquecida. O conhecido chef norte-americano, que morreu a 8 de Junho, com 61 anos, foi homenageado.

Sugerir correcção