Mestrado em Finanças do ISCTE entra no top 30 do Financial Times

Há outras duas universidades portuguesas no ranking, que é dominado pelas escolas francesas.

O ISCTE Business School surge em 27.º lugar
Foto
A ISCTE Business School surge em 27.º lugar fabio augusto

O mestrado em Finanças da ISCTE Business School (IBS) subiu 13 posições em relação a 2017 no ranking internacional de mestrados de Finanças do Financial Times, divulgado esta segunda-feira. O curso ocupa agora a 27.ª posição da tabela, onde já estavam duas outras escolas portuguesas: a Nova School of Business and Economics (no 21.º lugar) e a Católica Lisbon School of Business and Economics (na 23.º posição).

O topo da tabela revela o actual domínio das escolas francesas na área financeira. A liderar o ranking está a HEC Paris, seguida da ESCP Europe (Berlim, Alemanha) e da Edhec Business School (Lille, França). Em quarto lugar surge a Skema Business School (também de Lille). Em quinto, a Essec Business School (Cergy-Pontoise, França).

Para o ranking do Financial Times são ponderados vários critérios, como o impacto na progressão de carreira dos graduados, a igualdade de género no corpo docente ou a participação em investigação internacionais. 

Em comunicado, o reitor da ISCTE Business School, José Paulo Esperança, afirma que a subida da escola no ranking “resulta tanto da qualidade da investigação e ensino como da cooperação com o sector financeiro e empresarial”.

Em 2017, o mestrado do ISCTE Business School tinha ficado classificado em 40.º lugar. A Católica Lisbon SBE também progrediu três lugares na tabela. A Nova School of Business and Economics desceu da 19.ª posição em 2017 (e 14.ª em 2016) para o actual 21.º lugar. 

Portugal é o quinto país com mais escolas de gestão representadas neste ranking de mestrados em Finanças. O Reino Unido é o que tem mais instituições (18), seguindo-se os Estados Unidos (14) e França (9), num total de 65 escolas.

Notícia corrigida às 12h37 de 20 de Junho de 2018: ao contrário do que o PÚBLICO noticiou, a Porto Business School não se encontrava no ranking de 2017.