O calor vem aí. Quais os cuidados a ter?

As previsões apontam para temperaturas que podem ultrapassar aos 40º C, nos próximos dias. A Direcção-Geral de Saúde aconselha uma série de medidas, sobretudo para os mais novos e para os mais velhos.

,
Foto
DRO DANIEL ROCHA

Os termómetros vão ultrapassar esta semana os 40º em algumas regiões do país, devido a uma massa de ar quente e seco vinda do Norte de África. Em Évora, as temperaturas poderão atingir mesmo os 45º e à noite não devem baixar dos 21º. A Protecção Civil fala mesmo na possibilidade de "máximos históricos" e o cenário de dias quentes e noites tropicais deve manter-se pelo menos até sábado.

Devido à situação meteorológica de risco moderado a elevado são vários os distritos do país sob alerta laranja nos próximos dias. Outros estarão sob alerta amarelo. Há um risco elevado de incêndio, não só devido às altas temperaturas, mas também pela baixa humidade relativa que se espera. Consulte aqui os conselhos do presidente da Associação Portuguesa de Técnicos de Segurança e Protecção Civil.

Para os dias de calor, uma das principais advertências da Direcção-Geral de Saúde (DGS) passa pela atenção à desidratação, uma das complicações que podem surgir com o calor, que pode facilmente ser evitada com a ingestão de água, mesmo quando não se tem sede. A DGS aconselha ainda a evitar bebidas alcoólicas ou com muito açúcar e a fazer refeições frias e leves mais vezes ao dia.

De acordo com a DGS, deve tentar permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco ou com ar condicionado. Convém manter a casa o mais arrefecida possível – correndo as persianas ou portadas na hora de maior calor e deixando o ar circular quando as temperaturas baixarem, ao final do dia – e evitar actividades físicas ao sol. Sempre que estiver ao ar livre, use protector solar com índice de protecção igual ou maior que 30 e roupas leves, claras e soltas, chapéu e óculos com protecção contra a radiação UVA e UVB.

Da mesma forma, não deixe animais de estimação no carro, quando estacionado – uma advertência deixada também pela PSP, no Facebook. 

Sempre que trabalhar ou tiver alguma actividade no exterior faça-o acompanhado porque em situações de calor extremo poderá ficar confuso ou perder a consciência. Caso vá praticar actividade física, então, convém ter atenção aos seguintes cuidados:

  • Começar e terminar a actividade física de forma lenta e gradual;
  • Optar pela manhã cedo ou pelo final do dia e evitar as horas de maior exposição solar, entre as 11h e as 17h;
  • Beber água frequentemente: antes, durante e no final da prática de actividade física. Se transpirar muito, opte por uma bebida com electrólitos (bebidas para desportistas);
  • Evitar consumir líquidos com muito açúcar;
  • Realizar actividade física com companhia;
  • Parar de imediato a actividade se sentir fraqueza ou sensação de desmaio.

É importante manter-se informado sobre as condições climatéricas, ter atenção aos outros (sobretudo grupos mais vulneráveis) e conhecer os principais sintomas de desidratação, golpe de calor e outras complicações. Para esclarecer alguma questão ligar para a linha Saúde 24 (808 24 24 24) e em caso de emergência para o 112.

Para grupos mais vulneráveis da população – crianças, idosos e portadores de doenças crónicas – a DGS tem uma série de recomendações especiais:

Crianças nos primeiros anos de vida

  • Vestir a criança com roupas leves, soltas e de cor clara. Não esquecer o chapéu quando estiver ao ar livre;
  • Dar água com mais frequência e certificar-se de que bebe mais água do que o habitual;
  • Evitar a exposição directa ao sol, especialmente entre as 11 e as 17 horas
  • Aplicar protector solar antes de sair de casa;
  • Nunca deixar o seu bebé/criança dentro de um carro estacionado ou outro local exposto ao sol, mesmo que por pouco tempo;
  • Consultar o médico se a criança tiver diarreia ou febre e ter especial cuidado com a hidratação;
  • Procurar assistência médica imediatamente sempre que identifique sinais de alerta como: suores intensos; fraqueza; pele fria, pegajosa e pálida; pulsação acelerada ou fraca; vómitos ou náuseas; desmaio.

Pessoas com 65 anos ou mais

  • Beber água, mesmo quando não tem sede;
  • Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado;
  • Sempre que necessário procurar locais climatizados;
  • Evitar a exposição directa ao sol;
  • Usar roupas leves, soltas e de cor clara, utilizar chapéu e protector solar;
  • No período de maior calor tomar um duche de água tépida;
  • Fazer refeições mais leves e comer mais vezes ao dia;
  • Evitar a utilização do forno ou de outros aparelhos que aqueçam a casa;
  • Ter contacto de alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho);
  • Consultar o seu médico em caso de doença crónica ou se estiver a fazer uma dieta com pouco sal ou com restrição de líquidos.

Portadores de doenças crónicas

  • Beber água, mesmo não sentindo sede;
  • Permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado;
  • Evitar a exposição directa ao sol;
  • Usar roupas leves, soltas e de cor clara e utilizar chapéu e protector solar;
  • Usar menos roupa na cama, em especial pessoas com fraca mobilidade ou acamadas;
  • No período de maior calor, tomar um duche de água tépida;
  • Evitar a utilização do forno ou outros aparelhos que aqueçam a casa;
  • Ter alguém atento e disponível (familiar, amigo, vizinho);
  • Se tiver algum sinal ou sintoma associados ao calor, procurar cuidados médicos de imediato;
  • Evitar a exposição dos medicamentos a temperaturas elevadas.

Finalmente, a DGS descreve ainda algumas das principais complicações que podem acontecer com o calor – das quais convém saber reconhecer os sinais e sintomas e que medidas tomar.

Cãibras

Podem acontecer pela simples exposição ao calor intenso, durante ou após actividade física em que se transpira muito, ou por uma hidratação inadequada. Os sintomas manifestam-se por espasmos musculares dolorosos do abdómen e das extremidades do corpo (pernas e braços).

PÚBLICO -
Foto
Paulo Pimenta

O que fazer: pare a actividade física, se for o caso, e descanse num local fresco; estique os músculos e massaje-os suavemente; beba sumos de fruta natural sem adição de açúcar e/ou bebidas contendo electrólitos (bebidas para desportistas) e procure ajuda médica se as cãibras persistirem.

Golpe de calor

É uma situação muito grave. Acontece quando o sistema de controlo da temperatura do corpo deixa de trabalhar. O corpo deixa de produzir suor e não arrefece. A temperatura corporal pode, em 10-15 minutos, atingir os 39ºC, provocando deficiências cerebrais ou até mesmo a morte se a pessoa não for socorrida rapidamente. Os sintomas incluem febre alta, pele vermelha, quente, seca e sem produção de suor, pulso rápido e forte, dor de cabeça, náuseas, tonturas, confusão e perda parcial ou total de consciência.

O que fazer: ligar para o número de emergência 112. Entretanto, deve levar a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado; aplicar toalhas húmidas ou pulverizar água fria para arrefecer o corpo e arejar o ambiente à sua volta com uma ventoinha ou mesmo com um abanador. Se a pessoa não estiver consciente, não dê líquidos.

Esgotamento devido ao calor

Acontece quando o corpo perde muita água por causa da transpiração. Pode ser especialmente grave nas pessoas idosas e nas pessoas com hipertensão arterial elevada. Os sintomas incluem sede intensa, suor excessivo, palidez, cãibras musculares, cansaço e fraqueza, dor de cabeça, náuseas, vómitos e desmaio. A temperatura do corpo pode estar normal, abaixo do normal ou ligeiramente acima do normal. As pulsações alternam entre lenta e rápida e a respiração fica rápida e superficial.

O que fazer: chamar de imediato um médico ou ligar para o número de emergência 112. Entretanto, deve seguir alguns procedimentos como: levar a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado; mantê-la deitada com as pernas levantadas; aplicar toalhas húmidas ou pulverizar água fria para arrefecer o seu corpo; dar a beber sumos de fruta natural sem açúcar e/ou bebidas contendo electrólitos (bebidas para desportistas), caso esteja consciente.

Notícia actualizada dia 01/08/2018