Saiba por SMS se tem condições para fazer uma fogueira

Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas desenvolveu uma plataforma informática que permite aos cidadãos saber se têm condições para realizar uma queima.

Florestas tropicais e subtropicais de coníferas
Foto
Daniel Rocha

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) desenvolveu uma plataforma informática que permite aos cidadãos saber se têm condições para realizar uma fogueira com restos de vegetação. O interessado precisa de se registar no site do instituto (www.icnf.pt) e depois indicar quando e onde pretende fazer a queima.

De forma automática e com base em critérios previamente definidos, o sistema avisa, por email ou por SMS, o interessado se tem condições ou não de realizar a fogueira. A análise depende da existência de condições meteorológicas que permitam realizar a acção na data escolhida, entrando igualmente em linha de conta com o número de ignições registadas em tempo real naquele dia. Se se verificar um pico de ignições que destoa do histórico habitual, o ICNF não aconselhará a realização da queima.

Relevante será igualmente saber se a fogueira integra o período crítico, que normalmente decorre entre 1 de Julho e 30 de Setembro, altura em que este tipo de acções está proibida.

Está em desenvolvimento um sistema, que usa como modelo a aplicação que permitia aos cidadãos saberem a mesa de voto onde deveriam votar, que irá permitir depois de enviar um conjunto de informações por mensagens obter logo a resposta sobre se é ou não aconselhável fazer a queima.

Como o acesso à Internet é mais difícil no interior do país e esse meio é pouco usado por parte da população mais velha, a GNR disponibiliza igualmente uma linha telefónica (808 200 520), que funciona nos dias úteis das 9h às 21h que também presta estas informações.

A plataforma também pode ser usada no caso das queimadas, normalmente associadas à renovação de pastagens, mas aí, como é necessária a autorização camarária, a ferramenta apenas encaminha o pedido para o município, que deverá entrar em contacto com o interessado.