Râguebi

Portugal joga na Alemanha um lugar no Mundial 2019

Selecção nacional de râguebi disputa no sábado, em Heidelberg, o último play-off da fase de qualificação europeia para o Mundial de 2019.
Foto
Luís Cabelo

A selecção nacional de râguebi realiza neste sábado, às 14h, na Alemanha, um dos jogos mais importantes dos últimos anos. Após conseguir ter acesso à fase de qualificação europeia para o Campeonato do Mundo de 2019 ao conquistar o Rugby Europe Trophy, Portugal venceu num primeiro play-off a República Checa (45-12), mas para manter a esperança de marcar presença no Japão terá agora que derrotar uma complicada e reforçada selecção alemã.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

O trajecto não será fácil e não terminará na Alemanha em caso de vitória, mas se Portugal sair de Heildelberg com um triunfo, a segunda presença portuguesa num Campeonato do Mundo de râguebi tornar-se-à numa ambição realista. No derradeiro play-off da fase de qualificação europeia, o adversário da selecção nacional deveria ter sido a Espanha, mas uma penalização aplicada pela World Rugby a espanhóis, romenos e belgas por utilização de jogadores naturalizados considerados inelegíveis, deixou a Alemanha com uma oportunidade única.

O râguebi alemão têm vivido nos últimos dois anos momentos conturbados. Um diferendo entre o milionário suíço Hans-Peter Wild, proprietário do Heidelberger RK, a melhor equipa da Alemanha, e a federação germânica, resultou na recusa do clube em libertar os seus atletas. Dessa forma, os alemães viram-se privados dos seus melhores jogadores, sofrendo derrotas pesadas na última edição do Rugby Europe Championship. Com a possibilidade de obterem um apuramento inédito para o Mundial, os germânicos conseguiram uma trégua com Hans-Peter Wild e o adversário de Portugal voltará a ter como base Heildelberg e como seu núcleo duro os jogadores do Heidelberger RK.

Para conseguir ultrapassar um rival que se espera competente, os Lobos vão apostar num “XV” com regressos importantes. Na primeira-linha, que terá um papel decisivo na partida, vão surgir Francisco Fernandes, que alinha em França, e o jovem talonador Duarte Diniz, que esteve no último ano a jogar na Austrália. Destaque ainda para a titularidade no “pack” avançado de Jean Sousa e de Jacques Le Roux, numa partida que ficará na história de Gonçalo Uva: aos 33 anos, o segunda-linha fará o 100.º e último jogo por Portugal, repetindo o feito do seu irmão Vasco, o único português que chegou à centena de internacionalizações. 

Quem ganhar o duelo entre Alemanha e Portugal, não terá ainda garantido o visto para o Mundial do Japão. O vencedor do play-off europeu terá que defrontar, a 30 de Julho e 14 de Julho, a toda-poderosa Samoa, num confronto a duas mãos que garante ao vencedor um lugar no Grupo A do Mundial. Para o vencido, haverá uma última esperança: um torneio quadrangular de repescagem na qual vão participar o Canadá, Hong Kong ou Ilhas Cook, e o segundo classificado da fase de qualificação de África. 

XV de Portugal

1 – Francisco Fernandes;
2 – Duarte Diniz;
3 – Bruno Rocha;
4 – Jean Sousa;
5 – Gonçalo Uva;
6 – Salvador Vassalo;
7 – Sebastião Villax;
8 – Jacques Le Roux;
9 – Manuel Queirós;
10 – José Rodrigues;
11 – Adérito Esteves;
12 – Vasco Ribeiro;
13 – Rodrigo Freudenthal;
14 – Tomás Appleton;
15 – Nuno Sousa Guedes.