<p>Paulo Leite</p>
Foto

Paulo Leite

Foca instala-se no Estuário do Douro (e parece não querer sair)

Uma foca-cinzenta apareceu no Estuário do Douro há cerca de uma semana. Fenómeno, apesar de incomum, não é inédito, nem alarmante.

O Estuário do Douro abriga um visitante improvável. Uma foca-cinzenta, de nome científico Halichoerus Grypus, terá aparecido na zona há cerca de uma semana, e ainda por lá permanece. A foca deverá pertencer a uma população do Nordeste Atlântico — da zona do Norte de Inglaterra e Irlanda —, de acordo com Nuno Gomes Oliveira, biólogo e fundador do Parque Biológico de Gaia.

O fenómeno, apesar de ser incomum, não é inédito nem alarmante. Segundo o biólogo, o acontecimento “não está relacionado com alterações ambientais, nem significa que o ambiente está melhor cá”. Nuno Gomes Oliveira acredita que se trata de um juvenil que se perdeu, provavelmente por não saber nadar, e saiu da sua zona de distribuição, vindo parar ao Estuário do Douro. O animal foi visto pela primeira vez há cerca de uma semana, o que pode significar que acabou por se deixar ficar, por estar a dar-se bem com o ambiente e ter acesso a “um restaurante farto, recheado de tainhas”, explica o biólogo, em declarações ao Pet.

PÚBLICO -
Foto
Paulo Leite

A tendência, contudo, será que a foca volte para Norte, para junto da sua população, algo que deverá acontecer naturalmente, não sendo necessária a intervenção de uma equipa de resgate. Para Nuno Gomes Oliveira qualquer acção de captura é “inadequada”, uma vez que o animal “aparenta boa condição física e está a alimentar-se normalmente”.  “Quando lhe der vontade, ela lá irá”, conclui.

A foca já foi avistada por várias pessoas, entre elas Paulo Leite, fotógrafo amador que desde 2011 visita o estuário várias vezes por semana e que captou imagens do animal a comer uma enguia. O fotógrafo sublinha que a foca parece saudável, tendo em conta que está a caçar, e, citando a opinião de alguns especialistas, deve estar agora "à espera de temperaturas adequadas para prosseguir a sua viagem". Paulo Leite relembra que deverão ser evitadas quaisquer acções que incomodem o animal, para que “se alimente e descanse, para estar em condições de seguir viagem.”

A foca-cinzenta tem uma população de cerca de 632 mil indivíduos nas regiões subárcticas do Atlântico Norte e não é a primeira vez que uma delas decide visitar Portugal, como relembra Nuno Gomes Oliveira num post no Facebook em que deu conta deste fenómeno.  Em 2017, um juvenil deu à costa nos Açores e, em 2014, uma foca apareceu em Sagres, acabando por ser transportada para o seu habitat original.

O Estuário do Douro situa-se entre as margens do Porto e Vila Nova de Gaia e tem uma extensão de cerca de 60 hectares. Foi criado com vista a proteger as paisagens e aves, devido à grande afluência de espécies que passam pela zona.