Eurodeputados pedem declaração europeia sobre violações dos direitos humanos na Rússia

Eurodeputados exigem ainda que os Estados-membros mantenham as sanções acordadas contra a Rússia e pedem a libertação do cineasta ucraniano Oleg Sentsov.

O Mundial começa nesta segunda-feira, com o embate Rússia-Arábia Saudita
Foto
O Mundial começa esta segunda-feira, com o embate Rússia-Arábia Saudita LUSA/ABEDIN TAHERKENAREH

O Parlamento Europeu (PE) pediu nesta quinta-feira à União Europeia (UE) que emita uma declaração condenando as violações dos direitos humanos na Rússia e as tentativas de as encobrir através do Campeonato do Mundo de futebol, que arranca nesta quinta-feira.

Numa resolução discutida e aprovada em plenário no âmbito dos debates sobre direitos humanos, os eurodeputados pedem à UE que emita uma declaração em que condene as violações dos direitos humanos na Rússia e as tentativas de as encobrir através da realização do Campeonato do Mundo de futebol da FIFA.

O PE quer que o Conselho da UE e os Estados-membros se mantenham "firmes e unidos" na manutenção das sanções acordadas contra a Rússia" e a prorrogarem estas sanções, bem como a ponderarem medidas específicas contra as pessoas responsáveis pela detenção e pelo julgamento de prisioneiros políticos.

Os eurodeputados pedem também às autoridades russas que libertem imediatamente o cineasta ucraniano Oleg Sentsov e todos os outros cidadãos ucranianos ilegalmente detidos na Rússia e na península da Crimeia. Existem actualmente mais de 70 prisioneiros políticos ucranianos na Rússia e na Crimeia ocupada. A resolução foi aprovada por 485 votos a favor, 76 contra e 66 abstenções.

A anfitriã Rússia e a Arábia Saudita dão nesta quinta-feira o pontapé de saída no 21.º Campeonato do Mundo de futebol, num embate marcado para o Estádio Luzhniki, em Moscovo, o palco da final, em 15 de Julho.

Portugal estreia-se na sexta-feira, num jogo a disputar com a selecção espanhola.