Battaglia enviou carta, mas rescisão ainda não é efectiva

Argentino é o oitavo futebolista do Sporting a invocar justa causa para rescindir contrato.

Rodrigo Battaglia, Sporting CP, Pilsen, FC Viktoria Plzen, UEFA Europa League, selecção nacional de futebol da Argentina, Aleš Hruška
Foto
Battaglia é o oitavo a avançar para a rescisão Reuters/STRINGER

Está prestes a aumentar para oito o número de futebolistas a rescindirem o contrato com o Sporting alegando justa causa depois das agressões de que o plantel “leonino” foi alvo por parte de elementos da claque Juventude Leonina na academia do clube, em Alcochete.

Battaglia já enviou a carta de rescisão para o Sporting, mas formalmente a rescisão ainda não se efectivou, confirmou o PÚBLICO junto do emblema de Alvalade. O documento terá de ser enviado não apenas para o clube, mas também para a Federação Portuguesa de Futebol, Liga Portuguesa de Futebol Profissional e Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol – o que não terá acontecido.

“Após o que foi vivido é impossível voltar para o clube e continuar em um ambiente em que fui agredido de forma selvagem sem nenhuma protecção nem apoio por parte da instituição”, pode ler-se na carta de rescisão, divulgada por diveros jornais.

O argentino é o segundo jogador do Sporting a manifestar essa intenção de sair do clube, depois de Ruben Ribeiro já o ter feito nesta quinta-feira. Os dois juntam-se a Rui Patrício, Daniel Podence, William Carvalho, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bas Dost.

Rodrigo Battaglia chegou ao Sporting em Junho de 2017, proveniente do Sp. Braga, e tinha contrato até 2022. O médio argentino custou na altura um total de 4,5 milhões de euros aos “leões”.