Confira as várias reacções ao despedimento de Lopetegui

De Ramos a Xavi, de Clemente a Löw, a mudança no comando técnico de Espanha surpreendeu o mundo do futebol.

Julen Lopetegui, Espanha, time de futebol nacional, Espanha
Foto
LUSA/RODRIGO JIMENEZ

A Federação Espanhola de Futebol, pela voz do presidente Luis Rubiales, anunciou esta quarta-feira que destituiu Julen Lopetegui do cargo de seleccionador de Espanha. Fernando Hierro, que até então era director desportivo da federação, é o substituto do ex-treinador do FC Porto. Várias personalidades, entre as quais se contam jogadores, seleccionadores e dirigentes, já manifestaram a sua opinião em relação à decisão de Rubiales, que o próprio considerou “muito complicada”.

Já no aeroporto de Krasnodar, para viajar com destino a Madrid, Lopetegui assumiu estar “muito triste”. “Desejo que façamos um grande Mundial. Não vou dizer mais nada”, cita o diário desportivo madrileno As.

Sergio Ramos, capitão da selecção espanhola e do Real Madrid, reagiu na rede social Twitter, colocando uma imagem do escudo da equipa acompanhado do seguinte parágrafo de texto: “Somos a selecção, representamos um escudo, cores, um conjunto de adeptos, um país. A responsabilidade e o compromisso são com vocês e por vocês. Ontem, hoje e amanhã, juntos: #VamosEspanha”.

Xavi Hernández, símbolo do Barcelona e um dos jogadores mais influentes dos últimos anos na selecção espanhola, à qual renunciou em 2014, considerou que o presidente da federação “esteve muito bem”. “Olhou pela Federação, que tem de estar por cima das pessoas”, disse o jogador ao programa “El Chiringuito TV”.

“É difícil saber o que se passou. Indubitavelmente é uma situação particular para La Roja”. Foi assim que o presidente da FIFA, Gianni Infantino, reagiu à troca na selecção espanhola, em declarações ao diário desportivo catalão Mundo Deportivo. “Ele [Luis Rubiales] e a sua gente são pessoas que percebem de futebol. Por isso terão considerado todos os detalhes antes de tomarem a decisão de despedir Lopetegui”, disse. Infantino deseja “toda a sorte do mundo a Fernando Hierro”, seu “amigo”.

Na sua página oficial do Twitter, Cesc Fàbregas, um dos jogadores que Lopetegui não incluiu no lote dos que viajaram para a Rússia, classificou o actual momento da selecção de “difícil”. “Mas agora mais que nunca é quando temos que apoiá-los sem parar. Confio muito no talento e mentalidade desta equipa e estou seguro de que podem chegar muito longe e lutar pelo título. Muita sorte, rapazes”, pode ler-se na rede social.

Por seu lado, Javier Clemente, ex-seleccionador de Espanha, teceu duras críticas a Luis Rubiales. “Se falarmos a nível futebolístico, e tivermos em conta o que é um clube e o que implica na direcção desportiva, Rubiales é um saloio”, afirmou à rádio Onda Vasca. Clemente disse também que o presidente da federação é “um novato e os seus argumentos são um pouco ditatoriais”. “Chegou e a primeira coisa que fez foi colocar a sua gente. De momento, já despediu um monte de pessoas que levavam muito tempo de trabalho na federação. E tudo para meter os seus amigos”, acusou.

As reacções também se fizeram ouvir noutros quadrantes. “É uma questão da Federação e da selecção espanhola, eles é que têm de estar preocupados”, disse Bernardo Silva. O jogador português teorizou ainda sobre o que seria se o mesmo se passasse na selecção nacional: “Se Fernando Santos estivesse para sair seria um problema nosso e uma razão para nos preocuparmos e pensarmos nisso”.

Em conferência de imprensa, Joachim Löw, seleccionador alemão, considerou a mudança no comando técnico de Espanha como “surpreendente” e “inesperada", mas não acredita que La Roja vá abaixo: “O despedimento de Lopetegui provoca uma intranquilidade desnecessária, mas a Espanha não vai perder a sua força”.