Teatro centenário de Évora vai ser requalificado

Obras no Teatro Garcia de Resende custarão 1,2 milhões, a que se juntam 300 mil euros de intervenção na envolvente.

O teatro foi inaugurado em 1892, após 11 anos de obras
Foto
O teatro foi inaugurado em 1892, após 11 anos de obras Pedro Martinho

O centenário Teatro Garcia de Resende e a zona envolvente, no centro histórico de Évora, vão entrar em obras de requalificação, num investimento de 1,5 milhões de euros, revelou esta segunda-feira à agência Lusa o presidente do município.

Financiada por fundos comunitários, a empreitada está dividida em duas fases, uma que inclui as intervenções no exterior e outra no interior do edifício, indicou o presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá.
O projeto da requalificação da zona envolvente, que abrange o parque de estacionamento situado nas traseiras do teatro, "já está concluído" e o autarca acredita "que será possível lançar o concurso e a obra ainda durante este ano", adiantou.

Designada como "Espaço de acolhimento ao teatro", a primeira fase da empreitada já foi aprovada pela câmara municipal e pela Direcção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlen) e está orçada em cerca de 320 mil euros.
"Uma obra dentro do centro histórico tem sempre de ser precedida por um estudo arqueológico. Portanto, haverá necessidade de haver alguma verificação da situação arqueológica antes de começar, mas é um processo que está a andar", notou.

Quanto à intervenção no interior do Teatro Garcia de Resende, Pinto de Sá destacou a importância das obras, mas reconheceu que "não é, infelizmente, o projecto que faça toda a requalificação que o teatro necessita".
Nesta segunda fase, precisou, os trabalhos vão centrar-se "nas questões mais sensíveis e cruciais", nomeadamente "num conjunto de especialidades nas áreas da segurança e instalações eléctricas e de água", entre outras.

"Este projecto está a ser ultimado para que possa ser entregue já", porque "está o financiamento garantido" por fundos comunitários, sublinhou o autarca, indicando que vão ser investidos cerca de 1,2 milhões de euros na requalificação do interior do teatro. O presidente do município observou, contudo, que a segunda fase das obras "dificilmente começará este ano", devido "à dimensão do concurso público" e à necessidade de o contrato "ter o visto do Tribunal de Contas", apontando o início dos trabalhos para 2019.

Inaugurado em 1892, 11 anos depois de iniciada a sua construção, o Teatro Garcia de Resende, cujo edifício é propriedade da Câmara de Évora, é uma das mais importantes salas de teatro portuguesas, com uma estrutura semelhante ao Scala de Milão, Itália. O edifício, que chegou a servir para depósito municipal de lixo, começou um longo período de renovação em 1975, com a instalação do Centro Cultural de Évora, acelerado após 1990, ano da criação do Centro Dramático de Évora (Cendrev).