Curta-metragem de Jorge Jácome premiada no festival de Hamburgo

Flores recebeu os prémios do público e da competição internacional do Festival de Curtas Metragens de Hamburgo.

2018 Festival Internacional de Documentário Punto De Vista, Film
Foto

O filme português Flores, de Jorge Jácome, venceu os prémios do público e da competição internacional do Festival de Curtas Metragens de Hamburgo, que terminou na noite de domingo, na cidade alemã, informou a agência Portugal Film.

Para o júri da competição internacional - a principal categoria do KurzFilmFestival Hamburg (IKFF) -, o filme de Jorge Jácome, que ficciona um cenário de crise natural nos Açores, mostra a "dupla face da beleza, como simultaneamente aurática e feroz".

O júri destacou "a estrutura não linear" da curta-metragem, que "traz reflexões sobre o deslocamento, a separação e as diversas camadas da amizade como algo a que nos devemos apegar".

A diretora artística do festival LOOP de Barcelona, Carolina Ciuti, o director do Minimalen Short Film Festival de Trondheim, na Noruega, Per Fikse, e a realizadora sérvia Jelena Maksimovic, constituíram o júri do Festival de Curtas Metragens de Hamburgo, que começou na passada terça-feira.

O prémio do público resultou da votação feita pelos espectadores, dos filmes selecionados para competição alemã e internacional.

Flores parte de uma praga de hortênsias, que obriga a população a abandonar as ilhas, abrindo caminho a "uma reflexão nostálgica e política sobre território e identidade", como se lê no comunicado da Portugal Film - Agência Internacional de Cinema Português, que representou esta produção da Blackmaria, em Hamburgo.

A curta de Jorge Jácome foi estreada no festival IndieLisboa de 2017, onde recebeu o prémio Novo Talento. Desde então foi distinguida com prémios de melhor curta-metragem, do júri e de melhor filme, entre outras distinções, em festivais de cinema experimental da Croácia e da Roménia, em festivais de Santiago de Compostela, Verín e Navarra, em Espanha, em Cartagena das Índias, na Colômbia, em Winterthur, na Suíça, Guadalajara, no México, e Turim, em Itália.

O filme também selecionado para festivais de Toronto, Canadá, e San Sebastian, Espanha.

Além de Flores, estiveram também na competição internacional, do festival de Hamburgo, Farpões baldios, de Marta Mateus, Russa, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., Tudo o que imagino, de Leonor Noivo, e Miragem meus putos, de Diogo Baldaia.

Um filme de Juliane Jaschnow e Stefanie Schroeder - Die Wirkung des Geschützes auf Gewitterwolken ("O efeito dos canhões nas nuvens de tempestade", em tradução livre) - venceu a competição alemã do Festival de Curtas Metragens de Hamburgo.