Sete ideias para sair esta semana

Dias de prosa e poesia, festas e romaria. Com amor e música mecânica. É só dar à manivela.

Literatura
Foto
Daniel Rocha

Letras no bairro

Lisboa, Bairro Alto
Dia 9 de Junho 

Bairro Alto, sábado à noite. Encontro marcado com... a Literatura Europeia. Entre a Rua do Século e a Calçada do Combro, há livros, autores e leitores espalhados por espaços emblemáticos como o Convento dos Cardaes, a Academia das Ciências, o Atelier-Museu Júlio Pomar ou o Tribunal Constitucional. O objectivo é dar a conhecer obras literárias contemporâneas através da leitura de excertos. Nesta sexta edição do evento, a par da representação portuguesa, há poesia e prosa da Alemanha, Áustria, Croácia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Itália, Polónia, Reino Unido, República Checa e Roménia. As honras de abertura cabem a Coro Falado, espectáculo assinado pela Miso Music e pela Companhia Maior (às 18h, no Liceu Passos Manuel).
Horário: das 18h às 23h30.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
DR

Em marcha

Vila Nova de Famalicão
Até 13 de Junho 

Em Vila Nova de Famalicão, é tempo de celebrar a tradição e devoção a Santo António, padroeiro da cidade minhota. As Festas Antoninas assentam arraiais com marchas, cascatas, torneios, corridas, caminhadas, arruadas, desfiles etnográficos, rusgas, fogueiras e a distribuição do pão, um dos costumes mais antigos da romaria. A música não falta à chamada: aos tocadores de cavaquinho e bombos, juntam-se os concertos do cantautor Tiago Nacarato (dia 9) e dos D.A.M.A. (dia 11), na Praça D. Maria II, às 22h. Tudo acompanhado com sardinha assada, caldo verde e vinho tinto, num verdadeiro "caldeirão de divertimentos".
Programa completo em www.cm-vnfamalicao.pt.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
"Sebastianismo Revisitado" por Sam Abercromby DR

D. Sebastião na Barquinha

Vila Nova da Barquinha, Parque Ribeirinho
De 9 a 13 de Junho 

Durante cinco dias, a vila ribatejana volta a servir de cenário à Feira do Tejo. A festa está montada no Parque Ribeirinho, com um programa para todas as idades. Do teatro de rua à dança, passando pelo folclore, insufláveis, baptismos equestres, passeios em balões de ar quente, aulas de canoagem e música (com nomes como Be-Dom, The Black Mamba ou Blaya a marcar o ritmo), o evento conta ainda com artesanato e tasquinhas. À Galeria do Parque chega El-Rei D. Sebastião, pelas mãos de Sam Abercromby, pintor australiano radicado em Portugal. O lendário soberano, desaparecido na batalha de Alcácer Quibir, inspira a exposição Sebastianismo Revisitado, patente até 16 de Setembro. Nos dias da feira, pode ser visitada das 15h às 21h; depois, as portas estão abertas de quarta a sexta, das 11h às 13h e das 15h às 19h; sábado e domingo, das 15h às 18h.
Horário: todos os dias, das 15h às 24h (segunda e terça, a partir das 18h).
Grátis

PÚBLICO -
Foto
Blind Zero Frederico Martins

#Saiprarua

Viana do Castelo, Jardim da Marina
Até 24 de Junho 

O nome não engana: a ordem é para sair para a rua e aproveitar a festa itinerante que tem edição de estreia marcada para Viana do Castelo. Pelo palco instalado no Jardim da Marina vão passar artistas como Tatanka, The Acoustic Foundation, Samba Sem Fronteiras, Sandy Kilpatrick, Blind Zero, Paulo Sousa, Via ou Diana Martinez. À espera dos visitantes, além dos espaços de comida de rua, bares e zona infantil, está "a maior roda gigante de Portugal", com 32 metros de altura e 24 cabines. A iniciativa é organizada pelo Global Media Group, em parceria com a Câmara Municipal.
Horário: r
oda gigante aberta todos os dias, das 11h às 23h. Concertos todos os dias, às 22h (dias 9 e 18, também às 16h e às 18h30, respectivamente).
Grátis

PÚBLICO -
Foto
DR

Festa com amor

Lisboa, Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva
Dia 13 de Junho 

Na data em que se comemoram os 110 anos do nascimento da pintora Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), o convite é para entrar Num Dia de Amor. Nos espaços do Museu, da Casa-Atelier e do Jardim das Amoreiras é celebrada a efeméride abraçando a história romântica da artista com o também pintor Arpad Szenes. Os planos do dia incluem a visita às exposições da casa (Antologia de Artistas de Pedro Proença e O Outro Casal, sobre Helena Almeida e Artur Rosa), uma feira do livro de arte, dança, música, marionetas, filmes, pinturas faciais e oficinas de gravura, desenho e tipografia sem esquecer, claro, o bolo de aniversário. E porque nesta festa se dá ouvidos ao coração, há uma unidade móvel de saúde disponível para fazer rastreios.
Horário: das 10h às 20h.
Grátis

PÚBLICO -
Foto
DR

A toque de caixa

Lisboa, Museu do Fado
Até 30 de Setembro

Como se ouvia música há 200 anos? É para responder a esta pergunta que o Museu do Fado apresenta O Maravilhoso Mundo da Música Mecânica, onde também se mostra que o fado cabe e pode tocar nestes instrumentos do século XIX. Comissariada por Sara Pereira, a exposição propõe uma viagem ao universo das caixas de música, pianolas, autómatos, realejos, fonógrafos e gramofones através de meia centena de peças da colecção de Luís Cangueiro (que fazem parte do espólio do MMM - Museu da Música Mecânica, em Pinhal Novo). No repertório encontram-se melodias inspiradas em valsas, polcas, marchas, hinos, cânticos religiosos, ópera e fado. Mecanismos de produção automática de som, obras de arte das mais variadas formas e feitios, prontos a dar música (e fado) a quem passa. É só dar à manivela.
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h.
Bilhetes a 5€

PÚBLICO -
Foto
DR

No campo

Aljustrel, Parque de Exposições e Feiras
De 15 a 17 de Junho

A Feira do Campo Alentejano chega à idade adulta com os traços que lhe são característicos: uma montra com vista para o que de melhor tem para oferecer esta região do Baixo Alentejo. Com a tradição mineira nos genes, os caminhos do certame, que este ano conta com cerca de 250 expositores, passam também pela agricultura, pecuária, artesanato, garraiadas, gastronomia, colóquios, concursos e animação musical. No espaço Produtos da Terra, que inicialmente era dedicado ao pão, aumenta-se a dose de sabores com ervas aromáticas, azeite e cogumelos. Quanto aos saberes, há workshops de cozinha, confecção de pão, opções vegetarianas e concursos de doçaria, para alimentar e preservar a herança da terra.
Horário: sexta, sábado e domingo, a partir das 11h.