Mário Machado junta candidatura à Juve Leo e apresentação de novo partido nacionalista

O antigo líder da Frente Nacional garante que, apesar de serem no mesmo local e no mesmo dia, se tratam de “dois eventos distintos”.

Frente Nacional
Foto
Mário Machado Enric Vives-Rubio

Mário Machado, ex-líder da Frente Nacional, vai candidatar-se à presidência da Juventude Leonina (Juve Leo). O antigo dirigente de movimentos ligados à extrema-direita comunicou o seu desejo de comandar a claque sportinguista através do Facebook. A candidatura será apresentada publicamente ao início da tarde do sábado, nas instalações do Boa Hora Futebol Clube, em Lisboa, de acordo com o Correio da Manhã.

Paralelamente a essa candidatura, Mário Machado fará no mesmo dia e no mesmo local a apresentação do NOS, o novo partido nacionalista criado pelo ex-líder da Frente Nacional. O antigo recluso justifica a coincidência espácio-temporal com a “economia de tempo e logística”. Machado entende que se tratam de “dois eventos distintos, [que] são a horas diferentes para se separar interesses e nunca misturar futebol e política”. “Como é óbvio as minhas convicções ideológicas ficam à porta do estádio de Alvalade e nesse local sou única e exclusivamente um adepto fanático”, escreve ainda.

Mário Machado cumpriu seis dos dez anos de prisão previstos no cúmulo jurídico fixado em 2012 pelo Tribunal Criminal de Loures, tendo sido libertado no ano passado. Foi condenado em quatro processos ligados a acusações de discriminação racial, coacção agravada, posse ilegal de arma e ofensa à integridade física qualificada, sendo o mais “mediático” o do assassinato de Alcindo Monteiro, cidadão português de origem cabo-verdiana, espancado até à morte em 1995, no Bairro Alto, em Lisboa. Só neste processo, o antigo líder do movimento racista Hammerskin foi condenado, em 2008, a quase cinco anos de prisão pelo envolvimento no homicídio.

O anúncio de Mário Machado surge na sequência da detenção de Fernando Mendes, antigo líder da claque Juventude Leonina. Nesta operação, foram ainda detidos mais três suspeitos das agressões a jogadores, técnicos e funcionários do Sporting na academia de Alcochete.