Jornalista do PÚBLICO ganha prémio da ANMP de Jornalismo e Poder Local

A menção honrosa na categoria de imprensa distinguiu o trabalho do PÚBLICO, Lojas são históricas, mas não são museus.

Luvaria Ulisses
Foto
Livraria Ulisses guilherme marques

A única menção honrosa atribuída pela Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) na categoria Imprensa serviu para distinguir o trabalho do jornalista do PÚBLICO João Pedro Pincha sobre as lojas históricas de Lisboa.

Lojas são históricas, mas não são museus debruça-se sobre as lojas históricas da capital, definidas segundo os critérios de um grupo de designers ligado à Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Dentro da selecção ficaram pastelarias e cafés como A Brasileira, o Galeto, o Nicola, a Mexicana ou a Bénard, a sementeira Soares e Rebelo, a Primeira Casa das Bandeiras, a Luvaria Ulisses, a Chapelaria Azevedo Rua ou a Casa das Velas do Loreto. Leia aqui o trabalho vencedor. Leia aqui o trabalho na íntegra.

Na categoria de rádio, foi atribuído o primeiro prémio ao trabalho E se fizéssemos alguma coisa pela juventude? do jornalista da TSF Rui Tukaiana e do sonoplasta Joaquim Dias. As menções honrosas foram para os jornalistas da TSF Afonso de Sousa, pelo trabalho Linha D'Água e Airbnb em Lisboa: mais de quatro mil anúncios só em Santa Maria Maior e Misericórdia e Sara de Melo Rocha pelo trabalho De Alfama a Cacilhas: Qualquer dia dia fazemos lá os arraiais de Santo António. A ANMP distinguiu ainda a reportagem áudio da jornalista da Antena 1 Celina Faria, intitulada Há que tempos, com uma menção honrosa. Na categoria televisão, o primeiro prémio foi para o jornalista Paulo Lencastre Leitão, da Centro TV, pelo trabalho E tudo o fogo levou.

Em 2007 ANMP atribuiu, pela primeira vez, os prémios "Jornalismo e Poder Local", com três categorias (imprensa, rádio e televisão).