Entrevista

Nova lei deve “proteger” anonimato de quem já doou esperma ou óvulos

Presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, que nesta quarta-feira vai à comissão parlamentar de Saúde, defende que os direitos dos dadores que já deram material devem ser protegidos e por isso pede que os efeitos do fim do anonimato sejam só aplicados a novas doações.