Fotogaleria
DR
Fotogaleria
Hazul decompôs o símbolo do clube para criar a imagem comemorativa DR
Fotogaleria
A New Balance, em conjunto com o clube, convidou o artista de rua para desenhar a imagem DR

Nos 125 anos do FC Porto, o que não falta é (H)azul

Não bastava deixar a marca nas paredes do Porto, Hazul Luzah deixa marca também no clube da cidade. O artista foi convidado para desenhar a imagem comemorativa do 125.º aniversário do FC Porto e o terceiro equipamento da equipa vai ter a sua assinatura

O Futebol Clube do Porto (FC Porto) celebra 125 anos em 2018 e o equipamento comemorativo não podia ser mais (H)azul. A New Balance, em parceria com o clube, convidou Hazul Luzah para desenhar a imagem comemorativa e o artista de rua portuense — que "não tem cara nem nome", mas tem coração azul — aceitou.

Ao P3, Hazul conta que o convite foi "uma surpresa". A ideia era criar "uma imagem comemorativa que pudesse ser aplicada em diferentes produtos", como, por exemplo, no terceiro equipamento da equipa para a temporada de 2018/19,  disponível nas FC Porto Stores desde esta terça-feira, 5 de Junho. Depois de visitas ao museu, ao estádio e muitas conversas sobre o clube, o artista e a marca trocaram esboços até chegarem à imagem final.

A inspiração é, naturalmente, o FC Porto. Mas foi o emblema, mais concretamente, que Hazul desdobrou e usou. "O emblema do clube é bastante rico, tem muitas simbologias e, para mim, foi fácil trabalhar com isso. O meu desenho é o símbolo do clube mas, em vez de estar compactado, está como uma dança", explica. É, então, da diferente convivência, dinâmica e posição dos elementos que resulta a imagem comemorativa.

PÚBLICO -
Foto
A New Balance, em conjunto com o clube, convidou o artista de rua para desenhar a imagem DR

Para chegar ao produto final, Hazul teve de perceber "o que é um bom desenho para ser aplicado em vários suportes", além das "implicações inerentes a um equipamento", conta. "Tem de ter o símbolo do clube, da marca, do patrocinador e tudo tem que funcionar em consonância com o desenho." Mas o desafio foi facilmente superado devido ao conhecimento que adquiriu com a arte de rua, onde também está habituado a "limitações do tamanho das paredes, do sítio ou da visibilidade". Limitações essas que não foram impostas neste trabalho: "A marca e o clube confiaram sempre que eu não ia fazer asneiras", afirma, rindo.

Trabalhar com "marcas puramente comerciais" que não lhe "dizem nada" é algo que Hazul não faz, mas, neste caso, foi diferente. "O FC Porto, para além de futebol, junta e representa a cidade, é um símbolo regional" e, por isso, o artista não hesitou em aceitar a proposta. Além disto, achou "interessante" a marca atribuir a ilustração a um artista da cidade e não a um designer. "Ainda não pesquisei muito sobre isso, mas imagino que seja raro. Nunca tinha imaginado, acho que é a primeira vez, até a nível nacional, que convidam um artista para ilustrar uma camisola."

Por ser adepto do clube, o convite "também tocou aquela parte emocional", confessa, algo que facilitou ainda mais a decisão. "O sentimento é óptimo."