Sete em cada dez americanos estão fartos de notícias

Estudo do Pew Research Center revela que 68% dos norte-americanos dizem-se cansados de tanta notícia diária.

Carro, protesto
Foto
Oito em dez cidadãos americanos dizem que a imprensa “não informa” ou “não informa como deve ser” Andrew Kelly/reuters

Durante a campanha eleitoral norte-americana de 2016, a quatro meses da vitória de Donald Trump, já os norte-americanos se diziam esgotados pelo excesso de cobertura noticiosa das eleições. Na altura, os dados de um inquérito do Pew Research Center apontavam para que 59% de eleitores americanos dissessem sentir-se submersos pela avalancha das notícias que acompanhavam o dia-a-dia da campanha de Trump e Hillary Clinton. Dois anos depois, a situação piorou: 68% dos americanos confessam a sua exaustão pela catadupa de informação diária.

O estudo de opinião feito com 5035 cidadãos foi conduzido pelo think-tank norte-americano entre 22 de Fevereiro e 4 de Março e conclui que apenas 30% dos americanos está confortável com o que lê, o que vê, o que escuta, independentemente do suporte em que o faz.

Do outro lado do espectro, são 68% os que assumem ser um excesso o que diariamente os meios de comunicação têm para lhes apresentar. E nos pratos da balança republicana e democrata, a tendência de esgotamento demonstrada pesa sobretudo para o lado conservador: 77% contra 61% de democratas. O que, noutra leitura, significa que os republicanos, ou eleitores com tendência mais conservadora, podem não estar tão disponíveis para as eleições intercalares de 6 de Novembro de 2018.

Os resultados do inquérito revelam também que esta “fadiga” atinge sobretudo os eleitores que menos consomem informação numa base diária: 78% contra 62% de quem segue atentamente o “feed” noticioso. Ainda assim, a maioria dos norte-americanos diz seguir as notícias diariamente, enquanto 34% prestam atenção ao que se passa no seu país e no mundo apenas em doses homeopáticas, isto é, quando algo que considerem verdadeiramente importante está a acontecer.

Oito em dez cidadãos americanos dizem que a imprensa “não informa” ou “não informa como deve ser” o seu público-alvo. Só 48% se dizem muito satisfeitos com a oferta noticiosa diária.

Outro dos resultados do estudo mostra uma clivagem entre grupos demográficos de brancos vs hispânicos ou negros: 73% de americanos brancos confessam-se exaustos com aquilo que as notícias diárias têm para lhes oferecer, contra uma percentagem de apenas 55% de hispânicos e negros.

No campo do género, a cobertura noticiosa também não colhe: 71% de mulheres dizem-se fartas de notícias.

A metodologia seguida pelo Pew Research Center para este inquérito apresentou perguntas relacionadas com o dia-a-dia noticioso do país sem mencionar especificamente a cobertura noticiosa das investigações que pendem sobre a Administração Trump ou a “omnipresença” das críticas do Presidente norte-americano aos principais meios de comunicação social, nomeadamente através da sua prolífica conta na rede social Twitter.

Notícia corrigida às 7h13 de 8/06: título alterado de "um em cada sete" para "sete em cada dez".