Valência apresenta candidatura para organizar Web Summit a partir de 2019

A terceira edição do evento em Lisboa acontece em Novembro deste ano.

Paddy Cosgrave, fundador do evento, poderá estar prestes a dizer adeus a Portugal
Foto
Paddy Cosgrave, fundador do evento, poderá estar prestes a dizer adeus a Portugal Ricardo Lopes/arquivo

A cidade espanhola de Valência apresentou uma candidatura para ser, a partir de 2019, sede da Web Summit, um dos maiores encontros de empresas tecnológicas que se realiza em Lisboa, pelo menos, até este ano.

O anúncio foi feito na segunda-feira ao fim do dia pelo presidente da Comunidade Valênciana, Ximo Puig, e pelo presidente da Câmara Municipal de Valência, Joan Ribó.

Cada uma destas duas entidades comprometeu-se a investir 2,5 milhões de euros na conhecida conferência internacional de inovação e empreendedorismo e esperam que o Governo central espanhol também contribua, da mesma forma que o faz no caso de eventos idênticos realizados noutras cidades do país.

O Governo irlandês pagou 700 mil euros para ter a sede do Web Summit durante três anos em Dublin e Portugal 3,9 milhões para a ter em Lisboa até 2018.

A candidatura de Valência começou a ser desenhada a partir de Fevereiro deste ano com os primeiros contactos entre a autarquia e a direcção da conferência, que já visitou aquela que é a terceira maior cidade espanhola, depois de Madrid e Barcelona, e fica situada junto ao Mar Mediterrâneo, na parte Oeste de Espanha.

A terceira edição da Web Summit realiza-se entre 5 e 8 de Novembro em Lisboa. São esperadas mais de 70 mil pessoas de 170 países, segundo a organização, que tem referido que o valor estimado do evento é de 300 milhões de euros por ano para Lisboa e a sua economia local.

Segundo a organização da conferência tecnológica, na segunda edição do evento em Portugal, em 2017, participaram 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1200 oradores, duas mil startups, 1400 investidores e 2500 jornalistas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois na capital portuguesa.

Sugerir correcção