Pesados terão redução de 30% nas portagens das antigas SCUT do interior

O objectivo destas medidas é “contribuir para a competitividade da actividade económica” no interior, mas alguns empresários lamentam que os descontos não sejam também aplicados a viaturas ligeiras.

A A4 é uma das antigas SCUT incluídas na medida
Foto
A A4 é uma das antigas SCUT incluídas na medida Paulo Pimenta

Os pesados de mercadorias passarão a ter uma redução de pelo menos 30% no valor a pagar nas portagens nas antigas SCUT do interior e do Algarve (A22, A23, A24, A25 e A4), refere o Jornal de Notícias (JN) nesta segunda-feira, adiantando que a medida será aprovada em breve em Conselho de Ministros, onde serão ainda anunciadas mais medidas de apoio ao interior. Uma dessas medidas já anunciadas pelo primeiro-ministro António Costa é a da redução do IRC para empresas instaladas na região

O objectivo destas medidas é “contribuir para a competitividade da actividade económica” nessas regiões, resumiu o ministro Adjunto do primeiro-ministro, Pedro Siza Vieira. O valor da redução no custo de portagem – que começou por ser de 15% – tem sido estudado nos últimos meses pelo Ministério das Finanças e pelo Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas.

A medida não é, no entanto, do agrado de toda a gente: alguns empresários ouvidos pelo JN lamentam que os ligeiros de mercadorias e as viaturas particulares sejam excluídos deste desconto. “O Governo prepara-se para anunciar uma medida que só beneficia, e mesmo assim pouco, as empresas de transportes”, reage o presidente da Associação Empresarial da Beira Baixa, José Gameiro. “E os empresários que não tenham pesados mas apenas ligeiros de mercadorias, que são a maioria daqueles que aqui existem? E os cidadãos? A redução ou eliminação de portagens é a medida que traria impactos imediatos nestes territórios”, afirmou Gameiro.

Já a administradora da alfaiataria Dielmar, Ana Paula Rafael, afirma que todos os anos pagam cerca de 110 mil euros em portagens por estarem sediados no interior. “Todas as semanas vamos buscar clientes a Lisboa e Porto. Temos um custo de contexto brutal”, admite.

Em 2016, o Governo já tinha implementado descontos de 15% a todos os veículos que circulassem nas estradas supramencionadas, tendo também sido anunciada na altura o alargamento do período de descontos especiais para pesados de mercadorias nessas vias: 10% no período diurno e 25% no período nocturno (compreendido entre as 20h e as 8h).