Jorge Jesus negoceia com sauditas do Al-Hilal

Técnico do Sporting tem mais um ano de contrato mas está em negociações, intermediadas pela Gestifute do empresário Jorge Mendes. Bruno de Carvalho disse contar com ele para a próxima época.

Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

O treinador da equipa principal do Sporting, Jorge Jesus, está em negociações com o Al-Hilal, da Arábia Saudita, apesar de ainda ter mais um ano de contrato com o clube de Alvalade. A informação foi confirmada pelo PÚBLICO junto de uma fonte próxima do técnico leonino, que não confirmou a notícia avançada neste domingo pelo diário desportivo O Jogo, segundo o qual "a rescisão com o Sporting já está acertada" e o entendimento "não prevê o pagamento de indemnizações".

O técnico ainda não chegou a acordo com o clube árabe e as negociões ainda estão numa fase muito embrionária, segundo o PÚBLICO apurou. A Gestifute, do empresário Jorge Mendes, está a intermediar os contactos entre o treinador e os responsáveis da formação saudita, mas ainda não há fumo branco.

Por agora, não se confirma  outra informação publicada pelo O Jogo, segundo o qual o técnico receberia sete milhões de euros de salário anual, livre de impostos, no Al-Hilal. E que Sá Pinto é o preferido para sucessor de Jesus nos "leões".

O que se sabe é que Jorge Jesus tem mais um ano de contrato com o emblema de Alvalade, mas depois das agressões de 15 de Maio em Alcochete, entendeu que não estão reunidas as condições para se manter no banco dos "leões". A bem ou a mal, Jesus quer sair, tal como o PÚBLICO noticiou, e já informou Augusto Inácio, entretanto contratado como director desportivo.

Certo também é que o presidente Bruno de Carvalho disse contar com Jorge Jesus para a próxima época, isto depois de o ter despedido verbalmente, após o jogo na Madeira, onde o Sporting perdeu na última jornada da Liga com o Marítimo e ficou afastado da milionária Liga dos Campeões, em benefício do Benfica. Porém, formalmente, Jesus nunca foi notificado de nenhum processo de despedimento, apesar de ter sido ameaçado de suspensão, processo disciplinar e despedimento por justa causa.

Resta saber se, em caso de acordo com o Al-Hilal, não será o próprio técnico a rescindir unilateralmente com o Sporting, à semelhança do que fizeram Rui Patrício e Daniel Podence, na sexta-feira. Ambos os jogadores invocaram justa causa para terminar o contrato que os ligava a Alvalade, um cenário que poderá repetir-se na semana que está prestes a iniciar-se, visto que há mais rescisões na calha.

O Al-Hilal é o actual bicampeão da Arábia Saudita, tendo no palmarés 15 títulos nacionais. Tem um treinador interino oriundo da Argentina, Juan Brown. Uma notícia publicada a 14 de Maio – véspera das agressões à equipa em Alcochete – pelo jornal Arab News indicava que o clube estaria a pensar em Jorge Jesus ou Paulo Fonseca (bicampeão da Ucrânia) como hipóteses de contratação, estando no mercado à procura de um técnico competitivo para tentar uma terceira vitória na Liga dos Campeões da Ásia.