Por que se vestiu Serena Williams de super-heroína?

Ao usar uma roupa menos comum na modalidade, a atleta brincou com a situação. Um dia depois, Serena lançou uma marca em nome próprio.

Tênis, Aberto da França 2018, Grand Slam
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN
Serena Williams, Aberto da França, Tênis
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN
Serena Williams, Tennis, 2018 French Open
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN
2018 French Open, Serena Williams
Fotogaleria
LUSA/GUILLAUME HORCAJUELO
Tênis, Serena Williams, Aberto da França
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN
Serena Williams, Tennis, 2018 French Open
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN
Serena Williams, 2018 Open da França
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN
tênis
Fotogaleria
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN

Uma super-heroína da Marvel no court de ténis? Sim, foi isso mesmo que a norte-americana Serena Williams pareceu na terça-feira quando se estreou em Roland Garros, 16 meses depois de ter interrompido a sua carreira para ser mãe. Ao usar uma roupa menos comum na modalidade, a atleta brincou com a situação, mas também explicou que o fez por questões de saúde.

Ausente desde que, já grávida, venceu a irmã Venus na final do Open da Austrália de 2017, Serena entrou no court com um fato negro e colante ao corpo – recordando o que estreou no Open dos EUA de 2002, então na versão com calções. 

Dezasseis anos depois, o corpo da tenista mudou muito, sobretudo depois do nascimento da filha Alexis Olympia, no passado dia 1 de Setembro. Na conferência de imprensa, depois de vencer no seu primeiro jogo no torneio em Paris, Serena Williams explicou que tem tido problemas com coágulos de sangue e que as calças a ajudam na circulação do sangue. Por isso substituiu a tradicional saia, muitas vezes com calções por baixo, pelo fato.

“Eu chamo-lhe o meu macacão inspirado em Wakanda. É muito divertido ”, revelou, fazendo referência ao país africano inexistente, mas que é a casa do super-herói Black Panther, da Marvel Comics. "Sinto-me como uma princesa guerreira, talvez a rainha de Wakanda", continuou, depois da vitória sobre Kristyna Pliskova, acrescentando que se sente uma "super-heroína" com o fato vestido.

Fora de brincadeira, Serena Williams explicou que o uso da sua roupa de heroína se prende com o nascimento da filha. Depois do parto, passou a ter coágulos e que o macacão a ajuda. Serve para que "possa jogar sem problemas", justificou.

Serena sempre quis ser designer de moda

Nesta quarta-feira, a atleta publicou na sua conta de Instagram uma novidade: a criação de uma marca de roupa em nome próprio. A atleta confessa que sempre teve dois amores, o ténis e a moda, e que, por isso, chegou a jogar de maneira menos intensa para poder estudar moda, aos 18 anos. 

"Depois de 15 anos de falsos começos e de pessoas da moda me terem dito 'não', isso obrigou-me a trabalhar mais", confessa Serena, acrescentando que sempre acreditou em si e no seu sonho. Por isso, é com "orgulho" que lança a sua marca Serena online e dá um conselho: "Nunca pare de acreditar em si mesmo porque vale a pena."  

Serena Williams aposta em peças práticas e não muito caras, os preços não ultrapassam os 215 euros porque o objectivo é que os consumidores possam "realmente parecer bem e não ter de pagar muito caro por isso", diz à Vogue. “É o que eu quero fazer. Eu quero fazer peças que as pessoas pareçam bem e não tenham preços escandalosos", acrescenta.

Para já, a marca inclui lingerie, t-shirts, calças de ganga, casacos e um vestido. Nos próximos tempos serão lançadas novas peças ainda da colecção de Verão, promete. Na Vogue levanta ainda a possibilidade de a sua filha, com pouco mais de nove meses de vida, também estar a preparar o lançamento de uma colecção. "Há rumores de que ela também tem uma coleção e fará parte dela", brinca

No site da marca, a criadora explica que os seus projectos são "inspirados por mulheres fortes, sensuais, sofisticadas, atrevidas, seguras, inteligentes, estilosas, espontâneas, que estão a viver o melhor possível ou que inventam que estão – como eu".

Recorde-se que a norte-americana faz parte do círculo de amigos de Meghan Markle e que marcou presença no casamento real.