Negociações para a cimeira entre Trump e Kim estão em curso

Washington enviou uma “equipa” a Pyongyang para fazer avançar o encontro entre os dois líderes. Presidente norte-americano diz que a Coreia do Norte “será uma grande nação económica e financeira”.

Donald Trump, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Estados Unidos, Presidente dos Estados Unidos
Foto
O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump Reuters/Kevin Lamarque

“A nossa equipa dos Estados Unidos chegou à Coreia do Norte para negociar a cimeira entre mim e Kim Jong-Un”, escreveu Donald Trump no Twitter, neste domingo à noite. O Presidente norte-americano dá assim a entender que o encontro entre os dois líderes – que esteve agendado para 12 de Junho em Singapura e que o próprio cancelou – pode mesmo acontecer.

Trump voltou a elogiar o regime de Pyongyang, escrevendo que “acredita verdadeiramente que a Coreia do Norte tem um potencial brilhante e que, um dia, virá a ser uma grande nação económica e financeira”. “Kim Jong-Un concorda comigo nisto.” O Presidente dos EUA termina o tweet com uma exclamação – “Vai acontecer!” – não sabendo se se refere ao cumprimento desse desígnio partilhado com o líder norte-coreano, ou à cimeira oficialmente cancelada.

Esta não é a primeira vez que Trump dirige mensagens elogiosas desde que anunciou, na quinta-feira, que “não é apropriado, neste momento”, encontrar-se com KimMenos de 24 horas depois, também no Twitter, saudou a disponibilidade demonstrada pelo outro lado para manter aberta a via do diálogo. “Veremos até onde é que isto nos pode levar, espero que a uma paz e prosperidade longa e duradoura. Apenas o tempo (e o talento) o dirá!”, escreveu.

As conversações entre os EUA e a Coreia do Norte foram quebradas na sequência de um de uma agressividade crescente nos discursos de ambos os lados – se os EUA lançavam ameaças veladas a Pyongyang com referências ao “modelo líbio”, o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, era apodado de “idiota”. Na carta que endereçou a Kim Jong-Un, Donald Trump lamentava a “tremenda ira” e a “hostilidade aberta” demonstradas. Os norte-coreanos reagiram através do vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Kim Kye Gwan, mostrando-se “abertos a resolver os problemas a qualquer hora e de qualquer maneira”.

Donald Trump gostou da atitude contida e reconciliadora. Agora, depois de um novo encontro entre os Presidentes das duas Coreias, Kim Jong-un e Moon Jae-in, no sábado, parece definitivo que a cimeira de Singapura continua de pé.