Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

Fotogaleria

Juan Medina/Reuters

O encantador de cavalos encantadores que ajudam a controlar emoções

Os cavalos funcionam como um “espelho”. Se a pessoa estiver preocupada, o cavalo não vai parar quieto, por vezes até poderá começar a galopar. “Ele está a mostrar-te uma mente que não pára, que está atormentada”, traduz Fernando Noailles, 57 anos. O “encantador de cavalos” argentino organiza sessões de terapia (a rondar os 120 euros) com estes animais para ajudar a lidar com a ansiedade e o stress” e ensinar a “interpretar e controlar emoções”. Através da forma como o cavalo reage à presença de uma pessoa, Noailles, que viveu muitos anos junto de cavalos selvagens, na Patagónia, decifra e monitoriza o “estado de espírito do cliente” explica, à agência de notícias Reuters, que visitou o centro nas montanhas de Gaudalix, na periferia de Madrid.