EUA suspendem agravamento das taxas sobre importações chinesas

A guerra comercial entre Estados Unidos e a China está temporariamente “suspensa”, anunciou hoje Steven Mnuchin

Steven Mnuchin, Estados Unidos
Foto
Reuters/AMMAR AWAD

O secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, anunciou hoje a suspensão temporária do agravamento das taxas sobre as importações de aço e alumínio provenientes da China, confirmando a existência de um “consenso” entre as partes envolvidas.

“Estamos a suspender a guerra comercial. Acordámos, nesta altura, suspender as taxas, enquanto tentamos realizar um novo plano” de trabalho para um acordo comercial mais vasto, assegurou Steven Mnuchin, em declarações à cadeia de televisão Fox News, citado pela Reuters.

A mesma informação também já foi confirmada pelo vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, que disse à agência Xinhua que os dois Governos acordaram “não se envolver numa guerra comercial”, de acordo com a Lusa.

No entanto, a decisão implica que Pequim se comprometa a aumentar significativamente a compra de produtos norte-americanos, tendo, por isso, Mnuchin ressalvado que, se a China não mantiver o seu compromisso, o Presidente dos Estados Unidos “poderá restabelecer as taxas aduaneiras”.

De acordo com a Reuters, os EUA esperam obter, por acordo com Pequim, um aumento de 35% a 40% nas exportações agrícolas e uma duplicação das compras no sector energético no prazo de três a cinco anos.

A 25 de Abril, a Casa Branca havia anunciado que iria enviar à China uma delegação governamental, chefiada por Steven Mnuchin, para “chegar a um acordo no comércio”. “Penso que temos uma possibilidade muito grande de chegar a acordo”, disse, na altura, o presidente norte-americano, Donald Trump.