Pedro Nunes/Reuters
Foto
Pedro Nunes/Reuters

Megafone

Netta Barzilai e o poder feminino

Netta foi capaz de transgredir todas as normas, todos os tabus em relação às mulheres, e gritar a mensagem de que tem poder, que as mulheres podem sobreviver e que os tempos modernos estão a evoluir

A cantora Netta Barzilai foi um ícone do poder feminino no concurso da Eurovisão 2018. Mas o que fez esta cantora israelita ganhar o concurso? Que poderes encantadores tem a sua canção Toy? Foi, com certeza, um espectáculo hilariante que fascinou o público. A canção é como um hino à liberdade feminina. Os países do Médio Oriente têm uma conduta social na qual as mulheres são reprimidas, perseguidas e limitadas. Essa é uma das razões pela qual são considerados países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Isto porque a sua filosofia e regras contra as mulheres podem, por vezes, ser ultrajantes. Pode ser cruel e irracional e nenhum ser humano deveria sofrer com dogmatismo e crenças infundadas, onde os homens são considerados poderosos apenas pela condição de macho. No fundo, essas regras sociais servem para glorificar o poder masculino e a canção de Netta, remata todas essas crenças, impondo o poder da mulher.

Em Toy, a cantora premiada exprime de forma intensa a forma como, no centro, os homens são fracos por usarem as mulheres para seu bel-prazer, o que lembra as condutas sádicas por parte dos homens em relação às mulheres. Em muitos países do Médio Oriente, há muita discriminação. As mulheres são forçadas a casar com pessoas que não gostam, por vezes sujeitas a condutas degradantes, chegam a ser perseguidas para não seres educadas, etc. As pessoas que nascem nessas condições são, desde pequenas, ensinadas pelas gerações passadas a agir dessa forma: o homem é o macho, o alfa da família, e só ele deve ter liberdade, ao passo que a mulher é só um objecto. As crianças incorporam essas crenças e estas desenvolvem-se tão inconscientemente que as condutas das outras sociedades, onde as mulheres têm poder, são vistas como uma aberração. Este dogmatismo é perpetuado pelas gerações seguintes. No entanto, existem visionários, pessoas que vêem o que os outros não têm capacidade de decidir. Estes mestres da vida desafiam as normas, desafiam o estabelecido e quebram a lei para alcançar uma nova lei. É como se a sociedade (e isto aplica-se a qualquer cultura) andasse numa espiral e os visionários permitem que a espiral se desenvolva e cresça, para a melhoria do mundo. Foi exactamente isso que Netta fez.

Netta venceu o concurso da Eurovisão mas, ao mesmo tempo, foi alvo de muitos ataques. Pessoas de todo o mundo revelam a sua ignorância para com a cantora, chamando nomes ultrajantes que atacam a sua integridade. Isto acontece por várias razões. Uma delas centra-se no facto de a cantora ser uma pessoa excêntrica e marcante, que tem com certeza uma personalidade forte e que desafia a lei. Tudo o que é diferente e fora do normal é muito criticado pelo mundo, pois estas pessoas não sabem o que é seguir o caminho da individualidade. Outra razão para a existência de críticas duras — e isto é o típico cliché — é que, no concurso, certos países também tinham boas músicas e com boas mensagens. Mas, no final, não ganharam. E daí surge a desconfiança: os outros afirmam que os resultados estavam a ser manipulados, que houve corrupção, etc. Mas, então, por que razão ganhou Netta a competição musical?

Em Toy, a cantora fala de três personagens: a própria Netta, a Mulher Maravilha e a Barbie. Quanto à referência da própria pessoa, a cantora afirma que é uma personagem bonita, atraente e que não se interessa pelo que é aceite ou por "orações modernas". Com isto, afirma que tem poder, que não está a seguir o que é aceite pela sociedade. Refere ainda que não é "nenhum boneco" e que os homens "são estúpidos". É óbvio que a mensagem é dura e crua, diminuindo o poder do homem. E, como já referi, em certas sociedades do Médio Oriente os homens são vistos como as únicas pessoas com o privilégio e a capacidade de poder. Netta afirma que essa conduta é "estúpida" e que ela se libertou desse dogma, não sendo mais um boneco ou um objecto. Refere-se também à Mulher Maravilha, afirmando que esta personagem de banda-desenhada é uma pessoa divina e que quem não aceita o seu potencial de "super mulher" é um perdedor (mais uma vez a mensagem contra a conduta de machismo ). Por fim, sublinha ainda que a Barbie tem algo a dizer. Com isto, Netta está a afirmar que a divindade feminina tem o poder de decisão e uma mensagem para o público.

Mas, então, o que vez de Netta a vencedora?

A resposta é simples: Netta foi capaz de transgredir todas as normas, todos os tabus em relação às mulheres, e gritar a mensagem de que tem poder, que as mulheres podem sobreviver e que os tempos modernos estão a evoluir. A sociedade é como uma espiral, está constantemente a evoluir. Netta foi um degrau nessa espiral e foi isso que fascinou o público e fez dela a vencedora.