Avião com 114 passageiros cai no aeroporto de Havana, há três sobreviventes

Boeing 737 tinha acabado de levantar voo do Aeroporto Internacional José Martí.

,
Fotogaleria
CubaTV
,
Fotogaleria
Alejandro Ernesto/EPA
Carro, atmosfera da terra, terra
Fotogaleria
Alejandro Ernesto/EPA
,
Fotogaleria
LUSA/Marcelino Vazquez
Carro
Fotogaleria
Reuters/ALEXANDRE MENEGHINI

Um avião com 114 pessoas a bordo despenhou-se pouco depois de ter levantado voo do Aeroporto Internacional José Martí, em Havana. As autoridades cubanas acreditam que o número de vítimas mortais é superior a 100 pessoas. Segundo o jornal cubano Granma, três passageiros sobreviveram ao acidente e foram hospitalizados em estado crítico. 

O avião em causa era um Boeing 737-200, alugado pela companhia Cubana de Aviación e com tripulação mexicana. Das 114 pessoas que seguiam a bordo, 105 eram passageiros e nove faziam parte da tripulação – entre os passageiros estavam cinco crianças, uma delas com menos de dois anos. As nacionalidades das vítimas também não são ainda conhecidas.

O acidente aconteceu às 12h08 locais (17h08 em Portugal continental), pouco depois da descolagem. O avião caiu num terreno agrícola junto à auto-estrada Rancho-Boyeros.

"O avião é um amontoado de ferro calcinado. Caiu num terreno agrícola, a 200 metros dos primeiros edifícios", descreveu um repórter da agência de notícias.

As primeiras informações indicavam que o avião tinha como destino a Guiana, mas a rota era, afinal, interna: de Havana para Holguín, na outra ponta da ilha, perto de Santiago de Cuba.

PÚBLICO -
Foto

Depois de uma confusão sobre o nome da companhia aérea, o Boeing 737 foi finalmente identificado como sendo propriedade da companhia aérea mexicana Global Air, que aluga aviões a outras companhias sob a designação Damojh Aerolíneas.

"Houve um infeliz acidente de avião. As notícias não são muito promissoras. Parece existir um elevado número de vítimas", resumiu o Presidente cubano, Miguel Diaz-Canel, depois de visitar o local.

O último acidente aéreo em Cuba ocorrera no dia 29 de Abril de 2017 com um avião das Forças Armadas Revolucionárias cubanas. Neste acidente morreram os oito passageiros.

Antes disso, em Novembro de 2010, a queda de um avião da companhia Aerocaribbean que fazia a ligação Santiago de Cuba-Havana fizera 68 mortos — 40 cubanos e 28 passageiros de várias nacionalidades.

O mais grave acidente aéreo em Cuba aconteceu no dia 4 de Setembro de 1989, igualmente com um avião alugado pela Cubana, num voo entre Havana e Milão, em Itália. Tal como no acidente desta sexta-feira, o avião despenhou-se pouco depois da descolagem, matando todas as 126 pessoas que seguiam a bordo e mais de 20 no chão.