Markle já tem quem a leve ao altar. Mas poderá tomar uma posição feminista

Um dia após Meghan Markle ter confirmado que o seu pai não iria levá-la ao altar, sabe-se agora que é o príncipe Carlos.

Príncipe Harry, Meghan Markle, Casamento do Príncipe Harry e Meghan Markle, Reino Unido
Foto
Os preparativos para o casamento continuam Reuters/CLODAGH KILCOYNE

No casamento real, este sábado, quem vai entrar na igreja com Meghan Markle é Carlos, o príncipe de Gales. Aquilo que estava planeado – e foi inclusive anunciado pelo Palácio de Kensington – é que seria o pai da noiva a levá-la ao altar, mas esta semana veio a saber-se que Thomas Markle não poderia afinal estar presente na cerimónia.

Em comunicado, o palácio anuncia agora que Meghan Markle pediu ao futuro sogro que a acompanhasse ao altar. “O príncipe de Gales está satisfeito por poder receber Markle na família real desta forma”, pode ler-se.

A CNN avança, sem cintar fontes, que Carlos não vai entregar a noiva no sentido convencional. Markle terá decidido tomar uma posição feminista e, de acordo com o canal televisivo norte-americano, vai começar a caminhar pela nave da Capela de S. Jorge acompanhada apenas pelos meninos das alianças. Juntar-se-á, depois, a Carlos, na zona do coro, caminhando ao lado do príncipe até ao altar. Mas, no final, Carlos não a entregará ao noivo, ficando em vez disso para trás, enquanto Markle se junta a Harry. O plano já seria este, mesmo quando se pensava que era o pai de Meghan que iria caminhar ao seu lado.

Os rumores de que Thomas Markle estaria ausente no sábado começaram no início da semana, depois de o próprio ter dito ao site de notícias TMZ que não iria ao casamento da filha com o príncipe Harry por se sentir envergonhado pela polémica em torno de uma sessão fotográfica que o próprio terá encomendado aos paparazzi.

Poucos dias antes, o norte-americano de 73 anos tinha sofrido um ataque cardíaco, tendo entretanto recebido alta para poder ir ao casamento. A semana antes do casamento ficou por isso marcada pela especulação se Thomas Markle iria ou não estar presente no casamento da filha, já que aparentemente teria de ser novamente hospitalizado para um procedimento médico na quarta-feira de manhã – como disse ao TMZ. Até a meia-irmã de Markle – com quem esta não tem relação – veio juntar-se à festa, dizendo em entrevista à televisão britânica ITV, durante o programa Good Morning Britain, que tinha esperança que o pai ainda mudasse de ideias e que o seu estado de saúde permitisse deslocar-se até Windsor no sábado.

Entretanto, a própria Meghan Markle acabou por confirmar, na quinta-feira, que o pai não poderia efectivamente assistir ao casamento por motivos de saúde. "Sempre gostei muito do meu pai e espero que lhe seja dado o espaço que merece, para se focar na sua saúde", diz, num comunicado do Palácio de Kensington.