PJ deteve seis pessoas por rapto, casamento forçado e violação

Os detidos, com idades entre os 30 e 50 anos, têm todos "relações de parentesco ou afinidade" e alguns deles têm antecedentes criminais e cumprimento de pena por crimes distintos dos actuais.

Polícia, Polícia Judiciária, Judiciário, Brott
Foto
fau fabio augusto

A Directoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ) deteve seis pessoas suspeitas dos crimes de rapto, casamento forçado e violação de que foi vítima uma rapariga de 18 anos, informou esta quinta-feira aquele órgão de polícia criminal.

Em comunicado, a PJ refere que os crimes em causa terão ocorrido durante a quadra natalícia de 2017, nas áreas das cidades de Coimbra e Aveiro.

De acordo com a mesma fonte, os detidos, com idades entre os 30 e 50 anos, têm todos "relações de parentesco ou afinidade, segundo o respectivo costume" e alguns deles têm antecedentes criminais e cumprimento de pena por crimes distintos dos actuais.

"A vítima foi resgatada pela PJ, no decurso do corrente ano, e colocada em local reservado e diferente da residência habitual por razões de segurança", refere a mesma nota.

A operação, envolvendo 40 investigadores, incluiu a realização de seis buscas domiciliárias, onde foi recolhido material relevante para os factos em investigação.

Os seis detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coacção.