Baratas obrigam deputados a suspender Comissão do Trabalho

A audição da inspectora-geral do Trabalho foi transferida para outra sala da Assembleia da República.

,
Foto
Situação estará relacionada com desinfestação feita no fim-de-semana RUI GAUDêNCIO/Arquivo

A presença de baratas na sala onde estava reunida a comissão parlamentar de trabalho e segurança social, que se preparava para ouvir a inspectora-geral do Trabalho, levou à suspensão dos trabalhos.

Os deputados estavam a discutir o primeiro ponto da ordem de trabalhos, que antecedia a audição da inspectora-geral da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), Luísa Guimarães, quando surgiu a primeira barata que fez com que alguns deputados se levantassem, interrompendo a discussão.

Os deputados ainda tentaram prosseguir os trabalhos, mas minutos depois começaram a surgir mais baratas, considerando os deputados não haver então condições para continuarem os trabalhos naquela sala do piso 0 da Assembleia da República.

Entretanto, a comissão mudou-se para outra sala para que os deputados possam, então, ouvir a inspectora-geral do trabalho sobre a situação dos trabalhadores da Somincor – Sociedade Mineira de Neves Corvo, uma audição pedida pelo PCP.

Fontes parlamentares disseram à Lusa que a situação deverá estar relacionada com uma desinfestação de baratas feita no último fim-de-semana na Assembleia da República.