Setúbal quer praias da Arrábida sem carros este Verão

Parques de estacionamento pago, tolerância zero ao estacionamento selvagem e circulação proibida são a estratégia para impor transporte público. Investimento de um milhão promete praias melhores.

Aeroporto Internacional de Carrasco, Propriedade
Foto

A Câmara Municipal de Setúbal quer substituir o trânsito caótico nas praias da Arrábida pelo uso do transporte público, já este Verão, com um conjunto de medidas e investimentos que foram apresentados nesta quinta-feira. Atravessar a serra de carro vai ser proibido de 1 de Junho a 30 de Setembro porque nesse período estará interdita a circulação entre o troço Figuerinha-Creiro da EN379-1.

Os automobilistas podem transitar pela Arrábida, mas apenas parcialmente, de Setúbal até à Figueirinha, podendo fazer o mesmo percurso em sentido inverso, e de Azeitão até ao Creiro. A ligação entre a Figueirinha e o Creiro será feita por um vaivém, gratuito, que vai circular de 20 em 20 minutos entre as 8h50 e as 20h.

O plano de mobilidade para estas praias, que recebem anualmente cerca de 350 mil pessoas, passa essencialmente pela criação de parques de estacionamento pago, na Figueirinha, e pelo reforço da oferta de transporte público, em autocarro, conjugado com parques de estacionamento de retaguarda, na cidade.

Os preços do estacionamento na Figueirinha, com 250 lugares, variam conforme seja dia útil ou fim-de-semana e época baixa (Junho e Setembro) ou alta (Julho e Agosto), de mínimos de 40 cêntimos, por hora, e três euros por dia, para máximos de um euro por hora e nove euros por dia.

Estas tarifas só começam a ser aplicadas no dia 1 de Julho porque o regulamento municipal, que está ainda em fase de consulta pública, só deverá ser aprovado pela assembleia municipal no dia 28 de Junho.

Para irem à praia sem pagarem estacionamento, os utentes terão de usar os transportes públicos, com seis carreiras criadas a partir de parques de estacionamento na cidade, designadamente na Secil (o bilhete ida e volta de autocarro custa um euro), estações da rodoviária e da Refer (bilhete 4,10 euros), Alegro Setúbal (4,10 euros), Casa da Baia para Albarquel (4,10 euros) e Brejos de Azeitão para o Creiro (4,70 euros).

Os parques de estacionamento no Creiro (200 lugares) e no Portinho da Arrábida (40) não serão tarifados pelo município, sendo que nesta última praia passa a ser proibido levar o carro para perto da praia.

Novo cais no Portinho da Arrábida

Entre os quase um milhão de euros de obras e melhoramentos que o município de Setúbal tem vindo a fazer nas praias da Arrábida desde que assumiu a gestão por acordo com as diversas entidades com competências na matéria celebrado em Maio do ano passado, destaca-se a instalação de uma ponte-cais no Portinho da Arrábida que, segundo a autarca Dores Meira, deve estar pronta até final de Agosto.

O novo cais vai permitir melhor acesso a esta mítica praia de Setúbal, não apenas para os barcos de recreio mas também para os comerciais e de emergência.

Instalações sanitárias públicas na praia do Creiro, que nunca teve casa-de-banho, passadiços nas praias da Albarquel e da Figueirinha e na ligação entre Galapos e Galapinhos, assim como em vários acessos, quiosques e mobiliário são outras das melhorias apresentadas.

A aposta na qualificação da Arrábida passa ainda pela reformulação do Parque da Comenda, uma zona muito procurada para almoços e confraternização ao ar-livre, onde vão ser instaladas churrasqueiras e mesas mais modernas e outros equipamentos de apoio, como um bar-quiosque com esplanada, parque infantil e vedações.

Com este plano, a câmara sadina diz saírem reforçadas a protecção ambiental no Parque Natural da Arrábida e a segurança pública porque, com o fim do trânsito caótico, fica garantido o acesso dos meios de socorro e de combate a incêndios.

A introdução de tarifas no estacionamento na Figueirinha e os preços dos bilhetes de autocarro – que podem aproximar-se de uma despesa de 20 euros para uma família de quatro pessoas – têm sido alvo de alguma polémica em Setúbal, uma cidade “escaldada” com a subida de preços no acesso à praia de Tróia.

Mas a presidente da câmara assegura que a estratégia é permitir que “todos, sem excepção”, possam frequentar as praias da Arrábida. Maria das Dores Meira explica que as zonas livres para chapéus-de-sol vão manter-se, sem qualquer diminuição ou restrição, que há bilhetes de autocarro mais baratos para crianças e maiores de 65 anos, e que nada impede que as famílias possam ser deixadas nas praias por veículos particulares.

“Os carros podem circular, não podem é estacionar”, refere a autarca, acrescentando que a nova estratégia de mobilidade “até incentiva a tomada e largada de passageiros”.

“Uma Arrábida sem carros será a melhor forma de garantir que o maior número de pessoas consiga lá chegar a partir de Setúbal e de Azeitão” e que “não haverá diferenciação entre os que chegam mais cedo e ocupam os lugares de estacionamento durante todo o dia e os que chegam mais tarde e ficam sempre sem lugar, entre os que querem pagar o estacionamento e os que não querem”, afirma Dores Meira.

Sobre as receitas do estacionamento pago que o município vai arrecadar, a presidente da autarquia diz que não há estimativas muito apuradas mas falou em cerca de 50 a 60 mil euros no total da época balnear, “muito abaixo do que tem sido dito nas redes sociais”.