Israel expulsa cônsul turco em Jerusalém após expulsão do seu embaixador em Ancara

Presidente turco e primeiro-ministro israelita trocaram duras acusações.

Turquia expulsou embaixador israelita em Ancara devido à violência na Faixa de Gaza
Foto
A Turquia expulsou embaixador israelita em Ancara devido à violência na Faixa de Gaza Reuters/IBRAHEEM ABU MUSTAFA

O Governo de Israel anunciou nesta terça-feira a expulsão do cônsul turco em Jerusalém. Esta decisão surge em resposta à expulsão do embaixador israelita em Ancara devido às mortes de manifestantes palestinianos em Gaza na segunda-feira.

Outros países como a Bélgica, Irlanda ou África do Sul chamaram os embaixadores israelitas para prestarem esclarecimentos sobre a situação na Faixa de Gaza. A morte de pelo menos 60 palestinianos na segunda-feira, dia em que foi inaugurada a embaixada norte-americana em Jerusalém, motivaram também a condenação de vários outros países e organizações.

Nesta terça-feira, o Presidente turco, Recep Erdogan, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, trocaram duras acusações sobre o legado de violência de cada um.

"Netanyahu é o primeiro-ministro de um Estado apartheid que ocupou as terras de um povo indefeso por mais de 60 anos em violação das resoluções da ONU. Ele tem o sangue dos palestinianos nas suas mãos e não pode tapar os crimes ao atacar Israel. Quer uma lição de humanidade? Leia os Dez Mandamentos", escreveu Erdogan no Twitter.

A resposta de Netanyahu não se fez esperar: "Um homem que envia milhares de soldados turcos para assegurar a ocupação do Norte de Chipre e que invade a Síria não nos vai dar lições quando nós nos defendemos de uma ofensiva do Hamas. Um homem cujas mãos estão manchadas com o sangue de incontáveis cidadãos curdos na Turquia e na Síria é a última pessoa para nos dar lições de ética de combate."