Suspeito de escrever tese de Sócrates avalia candidatos a magistrados

Domingos Farinho integra júri do Centro de Estudos Judiciários, noticia a revista Sábado.

Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa
Foto
Domingos Farinho dr

O professor da Faculdade de Direito de Lisboa suspeito de ter sido o verdadeiro autor da tese de mestrado do ex-primeiro-ministro José Sócrates vai fazer parte do júri das provas orais dos candidatos a magistrados do Centro de Estudos Judiciários, noticia a edição online da revista Sábado.

Domingos Farinho está a ser investigado por peculato no âmbito de uma certidão extraída da Operação Marquês, uma vez que a colaboração remunerada que prestou ao antigo governante pode colidir com a exclusividade que esperava vir a ter na universidade – o que fez com que tivesse sido em nome da sua mulher que ficou o contrato de prestação de serviços com José Sócrates.

Quando foi interrogado, o professor universitário garantiu ter apenas efectuado “o trabalho normal de uma revisão formal de uma tese e uma espécie de orientação”,  pois era a primeira vez que o antigo governante “fazia um trabalho académico”. Sócrates, referiu, “escrevia em bruto” e Farinho “dizia como fazer”. Porém, refere a Sábado, segundo o relatório final da Autoridade Tributária que consta dos autos da Operação Marquês, “pela análise da caixa do correio electrónico do arguido José Sócrates, identificou-se algumas conversas onde se indicia que Domingos Farinho não fazia apenas trabalho de revisão, mas também de investigação e de redacção de texto, que posteriormente era revisto e analisado” pelo estudante de Paris.

A tese sobre tortura e democracia acabaria por dar origem ao livro A Confiança no Mundo, apresentado numa cerimónia no Museu da Electricidade, em Lisboa, em Outubro de 2013, que contou com a presença de Lula da Silva, ex-presidente do Brasil entretanto preso no âmbito da Operação Lava-Jato

Foi o próprio director do Centro de Estudos Judiciários, João Silva Miguel, quem, através do Aviso 5091/2018, fixou a composição do júri para as provas da fase oral e da avaliação curricular do 34.º Curso de Formação de Magistrados, escreve a Sábado.