Meia dúzia de projectos de sonho espalhados pelo mundo

A ILTM, que decorreu em São Paulo, apresentou mais de 360 experiências no universo do turismo de luxo. Aqui fica apenas uma pequena amostra do que há de novo.

Conservação de vida selvagem de Ol Jogi
Fotogaleria
Ol Jogi DR
Txai Resorts, Hotel
Fotogaleria
Txai DR

De um lado, mais de 360 experiências no universo do turismo de luxo implementadas em 65 países. Do outro, os mais ambiciosos operadores turísticos e agências em representação de cerca de 12 países latino-americanos. O resultado foi mais uma ILTM (International Luxury Travel Market), em São Paulo, a primeira com a designação ILTM Latin America e com o mote #keeptheworldmoving. Segundo os dados da organização, só em Janeiro o crescente mercado brasileiro gastou cerca de dois mil milhões de dólares (cerca de 1,67 mil milhões de euros) em viagens no estrangeiro, representando um aumento de 27% em relação ao mesmo mês de 2017. Para além de Portugal, “um país desenhado para você”, a Fugas destaca seis projectos de sonho.

Ol Jogi

Fica a um voo (de 45 minutos) privado de distância de Nairobi e compreende uma propriedade de cerca de 270 quilómetros quadrados de natureza intocada — com vistas privilegiadas para o monte Quénia e na companhia de inúmeras espécies animais, muitas delas ameaçadas. O rancho luxuoso no centro da propriedade pode ser reservado por apenas um cliente (e no mínimo para quatro pessoas) e o preço-base é de 2700 dólares (por noite e por pessoa), ficando à sua disposição todas as mordomias “feitas à medida” que o projecto Ol Jogi oferece. Entre as atracções, fazem parte desta experiência manadas de elefantes resgatados do Zimbabwe, chitas e leões órfãos que foram trazidos em crias para a propriedade pelas comunidades locais, um rinoceronte cego e cães selvagens. 

Great Plains Conservation

PÚBLICO -
Foto
DR

Missão: encorajar as pessoas a apreciar a natureza e a aprender como proteger o meio ambiente selvagem através de um modelo de turismo sensível, de baixo volume e de baixo impacto. O projecto Great Plains Conservation chama-lhe “turismo de conservação 100% sustentável” e promove-o no Quénia, Botswana e Zimbabwe. Tudo começou quando cinco pessoas decidiram colocar a sua experiência ao serviço dos animais selvagens, ameaçados nos seus habitats um pouco por toda o continente africano, e das populações que com eles convivem. “À medida que as populações humanas explodem em número, esses lugares raros e a diversidade de vida que eles sustentam são cada vez menos valorizados. São cada vez menos protegidos, não mais. De forma a garantir o seu futuro, devem ser criados modelos de conservação arrojados que integrem com sucesso as comunidades, os governos e o sector privado.” Como extra, é oferecido aos seus clientes um curso de fotografia vocacionado para a vida selvagem.

Star Clippers

PÚBLICO -
Foto
DR

O grupo opera com três dos maiores (e mais altos) veleiros do mundo. O Star Clipper e o Star Flyer são navios (as velas de cada um pesam cerca de duas toneladas; faz parte da tripulação uma pessoa responsável pela reparação de velas que possam acidentalmente rasgar-se e uma máquina de costura especial) com capacidade para 170 pessoas, enquanto o Royal Clipper, recordista do Guinness inspirado pela lendária embarcação alemã Preussen, pode instalar até 227 hóspedes. Com cerca de 133 metros e um total de 42 velas, a jóia da coroa do grupo Star Clippers apresenta todas as comodidades de um iate (inclusive três piscinas) em conjugação com a tradição dos barcos à vela. O catálogo da Star Clippers oferece algumas viagens a partir de Lisboa.

Evok

PÚBLICO -
Foto
DR

Elegância com um toque francês, excelência na hospitalidade e a autenticidade de um bairro. O grupo francês apresenta uma colecção de hotéis “artisticamente integrados” na sua vizinhança. Em Setembro será apresentado o cinco estrelas Brach (59 quartos e suítes com terraço), hotel imaginado por Philippe Starck no coração do 16.º arrondissement em Paris. O criador projectou um lugar com romantismo modernista inspirado na arquitectura moderna dos anos 1930 que revelará a sua estrutura de vidro por trás de uma vegetação intensa. Em Abril de 2019, o grupo inaugurará o seu Sinner, igualmente de cinco estrelas, que ficará no Marais da capital francesa. No ano seguinte segue-se o lançamento de Cour des Vosges, 12 apartamentos de luxo na Place des Vosges.

Hyatt

PÚBLICO -
Foto
DR

Quarenta e quatro propriedades num total de 11.980 quartos. Este são os números exibidos com orgulho pelo grupo Hyatt, considerado este ano pela revista Fortune como a nona melhor empresa para se trabalhar nos Estados Unidos. Em 2017, a marca inaugurou cinco hotéis de luxo. A saber: Grand Hyatt Baha Mar (Nassau, nas Bahamas), Hyatt Centric Guatemala City, Park Hyatt St. Kitts (Ilha de São Cristóvão, Equador), Park Hyatt Regency Andares (Guadalajara, México) e Hyatt House Santa Fé (Cidade do Máximo). Na semana passada, o grupo abriu as portas ao Hyatt Centric Las Condes, em Santiago do Chile, juntando-se a uma lista de hotéis inaugurados este ano (Colômbia, Brasil, El Salvador, Peru e Honduras). Com várias fitas para cortar nos próximos dois anos, o grupo Hyatt fala de “acomodações alternativas” e de “experiências únicas” para o viajante high-end

Txai

Construído numa fazenda de 92 hectares, na praia de Itacarezinho, o Txai, considerado o primeiro boutique-hotel do Brasil, localiza-se a 48 quilómetros de Ilhéus e a 15 de Itacaré, na Costa do Cacau, Sul da Bahia. Banhada pelo Atlântico, a região é o único trecho do litoral baiano que esconde nas suas enseadas pequenas praias de areia branca e mar azul. O Txai fica instalado na Área de Protecção Ambiental Itacaré-Serra Grande (APA) e localiza-se a apenas 50 minutos do Aeroporto Jorge Amado.