Como funciona o voto e como é feito o apuramento das canções?

Na Europa, a escolha das canções que vão a concurso não é uniforme. Há quem combine o voto do público e do júri e quem não lhes dê essa escolha.

A final do concurso europeu acontece este sábado
Foto
A final do concurso europeu acontece este sábado LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

Como são feitas as votações na Eurovisão?
Actualmente, a votação na Eurovisão combina a votação de um júri especializado com o televoto, para garantir que exista um “factor surpresa”: primeiro, são apresentados os pontos do painel de jurados de cada país (de um a oito pontos, e depois dez e 12 pontos para as duas melhores). Depois vêm os votos do público, na mesma escala. São apresentados de uma só vez, “misturados”, sem que haja discriminação de quem atribuiu votos a quem. Como se começa por anunciar as canções menos votadas até àquelas com mais votos — votos esses que são adicionados aos do júri — o vencedor só é conhecido mesmo no final da emissão.

Esta mudança na forma como são apresentados os votos foi introduzida em 2016, e foi a primeira grande alteração no sistema de votação desde 1975, ainda que o sistema de votação na Eurovisão tenha variado muito ao longo dos anos. Antes de 2016, cada país anunciava o total de votos que atribuía a outro (combinando num só os votos do júri e do público).  

Como é feita actualmente a selecção da canção portuguesa?
Hoje, o tema português é escolhido numa lógica de votação semelhante à utilizada na Eurovisão — ou seja, o voto do júri vale 50%, assim como o do público. As canções a voto são compostas por artistas convidados pela RTP (mais três que são seleccionados através de concursos). Mas nem sempre foi assim, lembra a investigadora em etnomusicologia, Sofia Vieira Lopes, que estuda o Festival da Canção. Até 1974, o público não votava. Por norma, as pessoas enviavam canções, que eram seleccionadas para a final televisionada. E um júri escolhia o vencedor. Em 1975 dá-se a “grande excepção”, quando os autores votaram uns nos outros. E em 1976 e 1977 ensaiou-se o voto do público, através de cupões impressos nos jornais. Foi preciso chegar aos anos 1990 para que o público português pudesse votar novamente na sua canção de eleição.   

PÚBLICO -
Foto
O Jardim, de Cláudia Pascoal e Isaura, foi a canção portuguesa escolhida este ano JOSÉ COELHO/LUSA

Como acontece nos outros países?
Os países têm três formas possíveis de apurar a canção que os vai representar na Eurovisão. Segundo informação disponível no site do Festival da Eurovisão isso pode ser feito através de uma selecção nacional televisionada, em que o público pode ajudar a escolher o representante. Um exemplo deste tipo de votação é o Melodifestivalen, na Suécia, o “mais bem-sucedido” neste formato. Outra das opções é a selecção interna feita por um comité escolhido pela televisão responsável pela transmissão do programa, como fazem a Holanda e a Austrália. Ou, ainda, um formato misto em que o intérprete é escolhido pela televisão, mas o público ajuda a escolher a canção.