Actuações da Albânia e da Irlanda foram censuradas na China

Censura estará relacionada com referências homossexuais e exibição de tatuagens. Ambas as canções Mall, da Albânia, e Together, da Irlanda, passaram à final.

Ermal Meta, Festival Eurovisão da Canção 2018
Fotogaleria
Eugent Bushpepa, representante da Albânia, na primeira semifinal da Eurovisão em Lisboa LUSA/MIGUEL A. LOPES
Matthieu Chedid, Festival Eurovisão da Canção, Concerto
Fotogaleria
A actuação de Eugent Bushpepa, com a música "Mall", concorrente da Albânia LUSA/JOSE SENA GOULAO
Ryan O'Shaughnessy, Festival Eurovisão da Canção 2018
Fotogaleria
Ryan O'Shaughnessy, da Irlanda, na primeira semifinal da Eurovisão em Lisboa LUSA/MIGUEL A. LOPES
Baixo, Festival Eurovisão da Canção 2018, Guitarrista
Fotogaleria
LUSA/JOSE SENA GOULAO

As actuações dos representantes da Albânia e da Irlanda, na primeira meia-final do Festival Eurovisão da Canção, que decorreu na terça-feira à noite, em Lisboa, foram censuradas na China pela televisão que detém os direitos de emissão para aquele território.

De acordo com o jornal chinês Global Times (propriedade do Partido Comunista Chinês), a Hunan TV – um dos canais mais populares da China – não emitiu as actuações da Albânia e da Irlanda, censurou bandeiras LGBT que se viam no meio do público, na Altice Arena, no Parque das Nações.

PÚBLICO -
Foto
A interpretação de Ryan O'Shaughnessy, concorrente da Irlanda, da música Together LUSA/JOSE SENA GOULAO

Segundo a mesma fonte, a canção albanesa terá sido retirada da transmissão porque o cantor, Eugent Bushpepa, "tem tatuagens", e a da Irlanda, por se tratar de um tema que "descreve uma relação homossexual". Tanto a canção da Albânia, Mall, como a da Irlanda, Together, interpretada por Ryan O'Shaughnessy, passaram à final do concurso, o que significa que voltarão a ser interpretadas no palco da Altice Arena no sábado.

PÚBLICO -
Foto
A actuação de Eugent Bushpepa, com a música Mall, concorrente da Albânia LUSA/JOSE SENA GOULAO

Em Janeiro, escreve o jornal, a entidade reguladora chinesa dos media proibiu a transmissão de tatuagens e outros elementos de subculturas, medida que gerou bastante controvérsia. De acordo com o Global Times, em Abril, um festival de música daquele país "proibiu os artistas de mostrarem as tatuagens em palco, depois de os jogadores da selecção nacional de futebol terem coberto as tatuagens nos jogos que disputaram em Março".

A Hunan TV adquiriu em 2018, pelo quarto ano consecutivo, os direitos de transmissão do Festival Eurovisão da Canção, e transmite as meias-finais e a final online, através da Mango TV. A 63.ª edição do Festival Eurovisão da Canção realiza-se em Lisboa, pela primeira vez. Portugal acolhe o concurso por ter sido o vencedor na edição de 2017, com a canção Amar pelos dois, interpretada por Salvador Sobral.

Na final do concurso competem 26 canções. Seis têm entrada directa – a de Portugal (por ser o país anfitrião) e as dos países do chamado grupo dos "Big 5" (Espanha, Reino Unido, Alemanha, Itália e França) –, dez foram apuradas na primeira meia-final, e as restantes dez são escolhidas nesta quinta-feira, durante a segunda semifinal.