Lava destruiu dezenas de casas no Havai e continua a avançar

Foram já registadas dez fissuras no solo e as erupções deverão continuar nos próximos tempos. As autoridades não têm ainda uma data para apresentar aos habitantes.

Fotogaleria
A Ilha Grande, no Havai, tem sido palco nos últimos dias de enorme actividade sísmica LUSA/BRUCE OMORI/PARADISE HELICOPTERS
Fotogaleria
Já foram detectadas pelo menos dez fissuras na área de Leilani Estates, a cerca de 19 quilómetros do vulcão Kilauea Reuters/HANDOUT
Fotogaleria
De acordo com o Observatório de Vulcões do Havai, as fissuras chegam a lançar lava a uma altura de 70 metros LUSA/BRUCE OMORI / PARADISE HELICOPTERS
Fotogaleria
Já foram destruídas 31 habitações Reuters/HANDOUT
Fotogaleria
Fluxos de lava atingem temperaturas até aos 1150 graus Celsius LUSA/BRUCE OMORI / PARADISE HELICOPTERS
Fotogaleria
Fissuras deverão continuar a surgir Reuters/HANDOUT

Mais de 31 habitações foram destruídas e cerca de duas mil pessoas foram retiradas das suas casas devido à lava do vulcão Kilaeua na Grande Ilha do Havai (EUA), que na quinta-feira entrou em erupção, ao que se seguiu um terremoto de 6,9 na escala de Richter a atingir a zona sudeste da ilha.

Não existe previsão sobre quando os moradores poderão regressar à área afectada e estão previstas mais erupções e novas fissuras nos próximos meses.

Segundo o balanço divulgado esta segunda-feira pela Agência de Defesa Civil do Condado do Havai, já foram detectadas pelo menos dez fissuras em Leilani Estates, a cerca de 19 quilómetros do vulcão Kilauea. De acordo com o Observatório de Vulcões do Havai, as fissuras chegam a lançar lava a uma altura de 70 metros. É nesta zona que se concentra o maior risco de perigo, diz a Associated Press.

PÚBLICO -
Foto
DR

“Não é altura para passeios”, avisou a Agência de Defesa Civil do Condado de Havai. Na mesma declaração, a agência ressalva  que os habitantes vão poder continuar a retirar os seus pertences entre as 7h e as 18h, durante os próximos dias. A excepção aplica-se aos moradores de Lanipuna Gardens, devido aos gases vulcânicos na atmosfera.

As autoridades lembram que os habitantes podem ajudar “tremendamente” caso se mantenham afastados das zonas evacuadas.

PÚBLICO -
Foto
USGS HANDOUT/Lusa

Independentemente da autorização para circular na região, os moradores devem estar preparados para abandonarem o local a qualquer momento, devido aos gases tóxicos como o dióxido de enxofre libertado, ao risco de sismos e à lava.

O vulcão Kilauea é um dos vulcões mais activos do mundo e um dos cinco da ilha. Está em constante erupção desde há 35 anos. As autoridades não conseguem prever onde irão acontecer as próximas fissuras e grandes fluxos de lava com temperaturas até aos 1150 graus Celsius. O estado é de alerta.