O “eterno insatisfeito” Sérgio Conceição e o título com “significado especial” para Pinto da Costa

Sérgio Conceição admitiu que ainda quer mais: “Sou um eterno insatisfeito." Pinto da Costa não confirma nem desmente a permanência do técnico no clube: “Não posso garantir, se não depois vocês não têm do que falar", disse aos jornalistas.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto
Foto
Sérgio Conceição, treinador do FC Porto LUSA/FERNANDO VELUDO

Sérgio Conceição: "Sou um eterno insatisfeito"

Sérgio Conceição começou por lembrar os festejos antecipados deste sábado e o incêndio no hotel onde os jogadores pernoitaram, que acabou por ser um elemento desestabilizador para o descanso da equipa. Todos estes factores contribuíram para que não fosse um jogo fácil, com a agravante de ser contra “uma equipa que sabíamos que vinha fazer o máximo”, avalia o treinador.

“Ontem permiti que bebessem uma cervejinha e sabem que no outro dia não é fácil estarem a 100%”, admitiu o técnico durante a conferência de imprensa no fim do jogo.

 “Fizemos dois golos, foi uma vitória merecida. Mais uma vez [os jogadores] demonstraram maturidade e saber estar. Foi merecido acabar desta forma no Dragão”, avaliou Sérgio Conceição.

Questionado sobre o que vem aí, o treinador responde simplesmente que vem o “jogo com o Vitória”. “Queremos os 88 pontos que o Benfica conseguiu há três anos”, traça Sérgio Conceição. “Estamos agora a desfrutar o momento com os adeptos e logo pensamos no jogo com o Vitória [de Guimarães].”

O técnico, que alcança agora o primeiro troféu enquanto treinador, já conta com três troféus conseguidos enquanto jogador pelo FC Porto: “Todos os troféus são diferentes e são todos saborosos”, avalia Sérgio Conceição, sorrindo.

“Dizer que estou realizado? Estou. É um clube que me diz muito.” Mas ainda almeja a Taça de Portugal, a Taça da Liga ou a Liga dos Campeões. “Sou um eterno insatisfeito. Foi uma época muito boa, mas ando sempre à procura da perfeição.”

Pinto da Costa: "Título com significado especial" 

Pinto da Costa admitiu que o título "tem um significado especial". "Muita coisa que se foi sabendo no fim da época e isto criou um espírito de revolta e de união entre todos, para que as coisas mudassem", explicou o presidente do FC Porto, considerando que a vitória conquistada pelos portistas é de todos. O presidente recusou-se a falar sobre a próxima época, nomeadamente a continuidade de Sérgio Conceição: “Não posso garantir, se não depois vocês não têm do que falar", disse com ironia aos jornalistas.

Quanto a Iker Casillas, o presidente gostava que ele permanecesse no clube: “Gostava que Casillas ficasse. Vou tentar que fique.”

Pinto da Costa reafirmou o entendimento perfeito que tem com o treinador Sérgio Conceição, que dispensa palavras, pois, segundo o presidente, não precisa que ele fale para saber o que ele "pensa, deseja e sente".

"Pelas mensagens que recebi de quase a totalidade dos nossos adversários, das palavras do treinador Jorge Jesus, que telefonou ao Sérgio para lhe dar os parabéns, não tenho dúvidas da justeza do título e só tem dúvidas quem realmente quiser", disse.

Pinto da Costa corroborou a opinião já manifestada pelo antigo treinador do FC Porto André Villas-Boas de que a emoção que Sérgio Conceição trouxe ao plantel foi um dos aspectos decisivos para a conquista do título. "Essa foi uma das razões porque escolhi o Sérgio Conceição", disse Pinto da Costa, recordando que conhece o actual treinador do FC Porto desde os 16 anos, altura em que era atleta do clube.

O presidente rebateu que o golo do capitão Héctor Herrera tenha sido o mais importante da época, no triunfo frente ao Benfica, na Luz (1-0), considerando que valeu pontos, mas de nada valeria se o FC Porto não vencesse também noutros campos.

O regresso à varanda da Câmara Municipal do Porto, agendado para depois da última jornada, após um interregno de várias décadas, foi também abordado pelo presidente "azul e branco". "Regressar à Câmara vai ser bonito. Desde 1999 que lá não vamos. Para ir à Câmara não é preciso o presidente ser adepto do FC Porto, como era o da altura e o da agora, é necessário que o presidente que lá estiver goste e ame a cidade do Porto", disse.

Quanto à preparação da equipa para a época 2018/19, em que o orçamento será reforçado com uma fatia maior da Liga dos Campeões, Pinto da Costa escusou-se a adiantar pormenores, uma vez que o projecto será determinado em reunião da administração: “O que vamos fazer é determinado em reunião da administração. Agora quero é que esta gente desfrute e se sinta compensada do apoio que nos deu.”

Iker Casillas quer ficar

Casillas falou aos repórteres televisivos e admitiu a vontade de ficar no FC Porto. "Espero ficar. Vamos ver o que se passa", disse o guarda-redes espanhol. "É justíssimo termos conseguido este campeonato. Foi pena as taças da Liga e de Portugal."

O espanhol disse ainda que "dar alegrias às pessoas é o mais importante". "Gosto muito da cidade do Porto. Desde o primeiro dia trataram-me com muito carinho. Não era fácil vir do Real Madrid para aqui", disse ainda Casillas numa outra entrevista.

Héctor Herrera: "O esforço de todo um ano"

Reconhecendo que, depois da noite deste sábado, muitos se podiam relaxar, o capitão dos portistas salientou a maturidade da equipa na flash interview com a SportTV: "Sabíamos que tínhamos de consagrar o campeonato com uma vitória em casa. Não podíamos errar."

"Aqui está o resultado de todo um ano de esforço. É importante para nós. Traçámos um objectivo e conseguimos alcançá-lo. Agora celebramos", avaliou Herrera. "De todos os anos em que aqui estive ainda não tínhamos tido a oportunidade de ganhar nada."

"Já disse ao Sérgio Conceição que estou contente pela confiança que me deu e o lugar que me deu na equipa", revelou Herrera. "Nem em casa trabalho tanto como no FC Porto. Aqui está o que tanto pediam", brincou, à despedida. "Agora mal posso esperar para ir levantar o troféu."

Iván Marcano: "Serei portista para sempre"

Marcano, que está em fim de contrato, disse à Sport TV que “foram três anos muito sofridos”. “Foi uma época difícil. Desde o início sabíamos que ia ser muito complicado, mas entre todos fizemos um grande trabalho. Parabéns a todos"

De acordo com o jogador, o “mérito” pelo título é repartido por todos": “Não sei do meu futuro. Tudo o que posso dizer é que serei portista para sempre.”

Sugerir correcção