As frases que levaram Sócrates a cortar com o PS

Vários socialistas foram comentando o caso de Manuel Pinho nos últimos dias e o silêncio em relação ao caso José Sócrates acabou por ser quebrado.

Foto
Esta sexta-feira, o ex-primeiro-ministro socialista anunciou o seu afastamento do partido LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

28 de Abril

Pedro Adão e Silva, comentador

“Ou o PS repudia o comportamento daqueles que, em seu nome, desempenharam as mais altas funções ou perpetuar-se-á um espectro de suspeição sobre a identidade do partido e sobre quem em seu nome ocupa cargos políticos.” 
 

PÚBLICO -
Foto

2 de Maio

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa

“Manuel Pinho já devia ter respondido à pergunta ‘é verdade ou não [que recebia do BES]’?”
 

PÚBLICO -
Foto

Carlos César, presidente do PS

“Ficamos até enraivecidos com isto (…), com pessoas que se aproveitam dos partidos políticos.”
 

PÚBLICO -
Foto

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros

“São suspeitas sobre comportamentos que, a terem existido, significam crimes gravíssimos, mas eu não confundo suspeitas com acusações.”
 

PÚBLICO -
Foto

João Galamba, porta-voz do PS

“Ver ex-dirigentes – no caso, um secretário-geral do PS que foi ex-primeiro-ministro – acusados de corrupção, branqueamento de capitais, etc. é algo que envergonha qualquer socialista.” 
 

PÚBLICO -
Foto

3 de Maio

Manuel Alegre, histórico do PS

“Tudo isto tem de ser revelado e discutido politicamente com seriedade e serenidade. O caldo de corrupção ainda está por aí.” 
 

PÚBLICO -
Foto

António Costa, primeiro-ministro e secretário-geral do PS

“Se essas ilegalidades se vierem a confirmar, serão certamente uma desonra para a nossa democracia. Mas se não se vierem a confirmar é a demonstração que o nosso sistema de justiça funciona” 

PÚBLICO -
Foto