Snapchat, Spotify e Tesla desiludem, Amazon celebra e Apple surpreende

Numa semana de apresentação de resultados financeiros, só alguns tiveram motivos para sorrir.

Foto
O mercado não gostou que Musk considerasse "aborrecidas" as perguntas de Wall Street Reuters/JOE SKIPPER

Várias tecnológicas apresentaram nos últimos dias resultados trimestrais. Enquanto o Spotify, o Snapchat e a Tesla falharam em impressionar os investidores, com perdas significativas, a Amazon celebrou os seus resultados com um aumento do preço de subscrição, e a Apple mostrou que o preço do iPhone não assustou os clientes. 

Smartphone de 1000 euros foi o mais vendido

A Apple diz que o iPhone X foi o aparelho que mais vendeu no segundo trimestre de 2018: trata-se do mais recente topo de gama da marca, que custa perto de 1180 euros em Portugal.

A novidade – anunciada durante a mais recente apresentação de resultados da Apple – surpreendeu investidores, que estavam preocupados com o sucesso do telemóvel devido ao seu preço elevado. Como já é habitual, a maior parte da receita da empresa no segundo trimestre de 2018 (61 mil milhões de dólares, no total) veio da venda de iPhones, com 52 milhões de dispositivos vendidos por 38 mil milhões de dólares. Embora a Apple não revele quais os modelos com mais vendas, o director executivo Tim Cook frisou que os “clientes escolheram o iPhone X”. Os resultados comprovam: a receita dos iPhones subiu 14% em relação ao trimestre homólogo, mas o número de unidades apenas subiu 3%.

A receita total da Apple também subiu 16% em relação ao primeiro trimestre de 2018. Tim Cook destacou o aumento no mercado asiático: “Crescemos em todos os nossos segmentos geográficos, com 20% de crescimento na China e no Japão.”

Snapchat perde com mudanças de visual

O Snapachat, a aplicação móvel de partilha de imagens temporárias, teve menos razões para celebrar. Segundo os primeiros resultados deste ano, a receita da empresa ficou-se pelos 230,7 milhões de dólares, um valor abaixo das estimativas de 244,5 milhões de dólares de analistas consultados pela Reuters.

Apesar de ser um aumento de 54% em relação ao trimestre homólogo, é uma descida significativa em relação ao último trimestre de 2017, quando a receita chegou aos 285,7 milhões de dólares (superando expectativas na altura). O número de utilizadores activos, 191 milhões, também está abaixo das expectativas de 194 milhões.

A mudança no visual da aplicação. feita no final de 2017, está a ser apresentada como um dos motivos para os resultados. No começo do ano, a celebridade norte-americana Kylie Jenner criticou publicamente as mudanças na plataforma e, em Fevereiro, mais de 1,2 milhões de utilizadores tinham assinado uma petição para reverter as alterações. Ainda assim, o Snapchat conseguiu atrair quatro milhões de novos utilizadores nos últimos três meses.

Amazon sobe subscrição para celebrar

A receita total da Amazon no primeiro trimestre de 2018 chegou aos 51 mil milhões de dólares, uma subida de 43% face ao período homólogo. Na apresentação dos resultados, Jeff Bezos, o fundador e presidente executivo da empresa, optou por destacar o crescimento dos serviços de computação em nuvem da empresa, o Amazon Cloud Service, que trouxeram 5,4 mil milhões de dólares em 2018 (uma subida de 49% face aos primeiros três meses de 2017).

O serviço de subscrição Amazon Prime (que permite, por exemplo, receber encomendas em dois dias e descarregar vídeos e música sem limites) também cresceu 60%, com a empresa a revelar que existem mais de 100 milhões de destes assinantes em todo o mundo. A empresa avisou que o serviço vai-se tornar mais caro: 119 dólares anuais, em vez dos actuais 99 dólares.

Musk aborrecido com perguntas de investidores

As perdas da Tesla foram menores do que o esperado e as receitas para o primeiro trimestre de 2018 chegaram aos 3,4 mil milhões de dólares, o que representa uma subida de 26,3% em relação ao período homólogo. Os prejuízos, porém, também estão mais altos que nunca, chegando aos 784,6 milhões de dólares (em 2017, eram 397 milhões).

Porém, o que mais marcou a apresentação de resultados foram as respostas do presidente executivo, Elon Musk, às perguntas dos investidores. Classificou-as como “aborrecidas” e insistiu que “não estava aqui para convencer as pessoas a comprarem acções.” Desde então, a cotação caiu mais de 7%.

A empresa optou ainda por destacar o investimento na produção no novo topo de gama da marca, o Tesla Model 3, capaz de se conduzir sozinho. O objectivo é conseguir produzir cinco mil unidades até ao final de Junho.

Spotify ganha subscritores, mas perde dinheiro

Na primeira apresentação de resultados trimestrais desde que entrou na bolsa de Nova Iorque, o serviço de música registou receitas de 1,4 mil milhões de dólares, prejuízos de 48,9 milhões de dólares, e 75 milhões de utilizadores a pagar para o serviço (o serviço de música da Apple tem 40 milhões de subscritores). O número de utilizadores total aumentou 6,9% no último trimestre, chegando aos 170 milhões de utilizadores.

Apesar de os prejuízos serem inferiores ao período homólogo, os resultados mostram que a empresa continua a perder dinheiro e os investidores não ficaram impressionados, fazendo as acções resvalar mais de 10% um dia depois da apresentação.

Para o segundo trimestre de 2018, o Spotify apontou para um objectivo de 180 milhões de utilizadores, entre 79 e 83 milhões de subscritores pagos, e entre 1,3 e 1,55 mil milhões de dólares em receitas.