Banda do Mar, Orelha Negra, Capicua e Waldemar Bastos na Eurovision Village

O Terreiro do Paço terá um espaço dedicado à Eurovisão. Entre 4 e 12 de Maio, haverá visionamentos das semifinais e final da primeira edição do Festival que vai ser realizada no nosso país, bem como concertos de, entre outros, nomes como Beatbombers, Moullinex, Xinobi, Nuno Feist e a Orquestra Metropolitana de Lisboa.

A Banda do Mar toca na Eurovision Village do Terreiro do Paço
Foto
A Banda do Mar toca na Eurovision Village do Terreiro do Paço DR

A primeira edição da Eurovisão em Lisboa decorre de 8 a 12 de Maio na Altice Arena, no Parque das Nações, mas isso não quer dizer que o evento em si não comece antes. Segundo o site oficial da Eurovisão, a Eurovision Village, um espaço no Terreiro do Paço associado à competição, abre a 4 de Maio, com entrada livre (dentro da lotação máxima) para concertos e visionamentos ao vivo de todas as cerimónias.

A abertura faz-se ao som dos Beatbombers, o duo de gira-disquismo de DJ Ride e Stereossauro, que vão também actuar na final, com Lisbon Open House, uma noite de música de dança conduzida por Moullinex, no dia 5. No dia 6, é altura de os tributos que houve no Festival da Canção serem apresentados ao vivo, com JP Coimbra e Nuno Figueiredo a homenagearem Carlos Paião, tal como fizeram nas duas semifinais do Festival, Moullinex, que volta à Village pela segunda noite seguida para repetir aquilo que fez na final, em que pegou nas vozes de Selma Uamusse, Marta Ren, Ana Bacalhau e Catarina Salinas para honrar as Doce, e Nuno Feist, que na mesma cerimónia teve Aurea e Marisa Liz a enaltecerem Simone de Oliveira, com a participação da própria no fim. Isto à noite, porque de tarde, ao invés da tradicional passadeira vermelha, que ocorre desde 2009, há uma passadeira azul de recepção aos concorrentes que terá direito a transmissão em directo a partir do MAAT, com apresentação de Cláudia Semedo, Pedro Penim, Inês Lopes Gonçalves e Pedro Granger.

A 7, a Banda do Mar, o projecto que une o português Fred Pinto Ferreira, baterista de Orelha Negra e vários outros projectos, aos brasileiros Mallu Magalhães, que escreveu uma canção para Beatriz Pessoa na edição deste ano do Festival da Canção, e Marcelo Camelo, volta aos palcos, numa noite que conta também com o angolano Waldemar Bastos. Segue-se, a 8 e 10, as duas semifinais da Eurovisão ao vivo, com a Orquestra Metropolitana de Lisboa a interpretar grandes clássicos europeus pelo meio, no dia 9. A sequência de concertos acaba um dia antes da final, com os já mencionados Orelha Negra, a banda de hip-hop instrumental – cujo baixista, Francisco Rebelo, foi o responsável por Amor Veloz, cantada por David Pessoa no Festival da Canção –, e a rapper Capicua, com a sua Guerrilha Cor-de-Rosa, que terá como convidadas Blaya e M7, além das repetentes Marta Ren e Ana Bacalhau – esta última foi jurada deste ano do Festival da Canção, para o qual Capicua contribuiu com uma composição cantada pela voz de Tamin.

Além dos eventos, existirá também comida, uma área lounge, actividades paralelas e uma exposição sobre a história do Festival. Os concorrentes da Eurovisão também actuarão neste palco, mas o calendário desses espectáculos ainda não foi divulgado.

Esta quinta-feira foi também anunciado que, na final da competição, a 12 de Maio, Branko, cuja participação no espectáculo já tinha sido confirmada, terá como convidados Sara Tavares, Mayra Andrade e Dino D'Santiago.