Crónica de jogo

Sporting com a Liga dos Campeões na mira graças a Bruno Fernandes

Dois golos do médio português em Portimão deixam os “leões” a par do Benfica na classificação, a uma semana do derby.

Foto
LUSA/ANTÓNIO COTRIM

Quem era Bruno Fernandes no início da época? Um promissor médio que nunca tinha jogado na I Liga portuguesa, mas com rodagem suficiente na Série A e com presença nas selecções jovens. Mas não deixava de ser um investimento de algum risco para quem apostasse nele. O Sporting apostou. E quem é Bruno Fernandes agora? Um dos melhores médios portugueses da actualidade, internacional A e com lugar quase garantido no Mundial 2018. E alguém que mais do que pagou os 8,5 milhões de euros nele investidos. Neste sábado, foi ele a marcar os dois golos do triunfo do Sporting, por 1-2, no terreno do Portimonense, que permite à equipa de Jorge Jesus, a uma semana do derby, apanhar o Benfica no segundo lugar, ficar com boas perspectivas de se apurar para a Liga dos Campeões e manter-se viva na luta pelo título.

Não se pode dizer que o Sporting não estava motivado para esta tarefa algarvia. E teve uma dose extra com a derrota do Benfica na Luz. Com a perspectiva de igualdade pontual com os “encarnados”, a vitória era um imperativo ainda maior e os “leões” pareceram entrar com esse “chip” ligado, pressionantes em todo o campo, com vontade de resolver as coisas cedo. Não passaram nem dois minutos e essa disposição quase se transformou em golo. Canto de Bruno Fernandes, desvio de Bryan Ruiz e Battaglia surge a finalizar, mas Leo desvia em cima da linha.

Percebia-se a intenção dos “leões” em decidir cedo. E aos 23’, o golo “leonino” surgiu com naturalidade. A jogada começa em Battaglia, que mete a bola em Bas Dost. O holandês deu o toque para a entrada de Bruno Fernandes, que, com grande classe, picou a bola por cima do guardião.

A equipa de Jorge Jesus tentou construir em cima desta vantagem mínima, mas o Portimonense despertou para o jogo e começou a equilibrar. O Sporting andou a rondar a baliza de Leo e teve algumas oportunidades, a mais flagrante de Gelson Martins, que, após jogada individual rematou na direcção do guarda-redes. Não se distanciou o Sporting e a equipa de Vítor Oliveira, em contra-ataque, nivelou o jogo. A partir do flanco esquerdo, Tabata mete a bola na grande área e Fabrício antecipa-se a Fábio Coentrão para fazer o empate aos 42’. Logo a seguir, os “leões” estiveram perto de voltar à vantagem, mas nem Dost, Fernandes ou Ruiz conseguiram acertar na baliza.

A segunda parte trouxe algo diferente. Vítor Oliveira desviou o japonês Nakajima para o centro e os algarvios tiveram a iniciativa ofensiva com maior regularidade. Depois de uma mini-escaramuça com Petrovic, Vítor Oliveira foi expulso do banco, mas isso não abrandou os algarvios. Jesus começou a jogar no risco, com as entradas de Montero, Misic e Lumor, mas nada parecia resultar.

O que resultou já estava em campo. Mesmo cansado, Bruno Fernandes ainda teve forças para, aos 89’, apanhar uma bola à entrada da área e, de primeira, dar a vitória ao Sporting e provocar os festejos de toda a gente. Bruno de Carvalho até se abraçou a Coentrão e, quando o jogo acabou, voltou a ir ao relvado, como antes fazia, celebrar a sexta vitória consecutiva com os adeptos.