Moção de Costa ao Congresso reflecte sobre a próxima década

Chama-se “Geração 20/30” a moção de estratégia com que António Costa será reeleito secretário-geral do PS. O mandatário nacional é Arons de Carvalho.

Fotogaleria
Mariana Vieira da Silva (na foto) e Alberto Arons de Carvalho vão ser peças-chave na recandidatura de Costa Daniel Rocha
António Costa é de novo candidato à liderança do PS
Fotogaleria
António Costa é de novo candidato à liderança do PS LUSA/ALEXANDRE RIBEIRO

Para procurar pistas e responder aos novos problemas e desafios que se colocam às sociedades, tendo como horizonte a próxima década, a moção de estratégia global com que o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, se recandidata à liderança do partido será estruturada em torno de quatro eixos centrais: combate às desigualdades, desafio demográfico, alterações climatéricas e sociedade digital.

Com as eleições directas pelos militantes marcadas para 11 e 12 de Maio, António Costa escolheu para mandatário nacional da sua candidatura Alberto Arons de Carvalho, fundador do PS e primeiro secretário-geral da JS, na época em que António Costa se inscreveu na juventude do PS.

Depois de aprovadas no 22º Congresso do PS, que se realiza entre 25 e 27 de Maio e cuja Comissão Organizadora é presidida por João Vasconcelos, as orientações gerais da moção de estratégia do líder deverão influenciar o programa eleitoral do PS às legislativas de 2019, mas este não sairá do Congresso de Maio.

Para finalizar e aprovar o programa eleitoral, o PS realizará uma convenção em Junho ou Julho de 2019, depois das eleições europeias de 26 de Maio de 2019. Antes, realizar-se-á, em Janeiro, uma outra convenção para marcar o arranque da campanha para as eleições europeias.

Com entrega prevista para dia 26 de Abril, a moção de estratégia global de António Costa também vai inspirar uma convenção, que se realiza este sábado, dia 21, em Torres Novas. O objectivo é receber os últimos contributos, de acordo com um “sistema de elaboração participativa, que procura envolver o partido”, explicou um responsável do PS ao PÚBLICO.

A convenção deste sábado será organizada em torno dos quatro temas centrais da moção e, após um momento dedicado ao debate de ideias, haverá uma sessão de encerramento com a apresentação de conclusões, a cargo da coordenadora da moção de estratégia, Mariana Vieira da Silva, secretária de Estado Adjunta do primeiro-ministro.

Intitulada “Geração20/30”, a moção de António Costa procurará apontar linhas para o futuro e centra-se em procurar respostas que possa vir a ser reflectidas e aproveitadas no programa eleitoral às legislativas de 2019.

Intitulada “Geração20/30”, a moção de António Costa procura apontar linhas para o futuro e centra-se nas respostas que possam vir a ser reflectidas e aproveitadas no programa eleitoral às legislativas de 2019.

Em relação ao combate às desigualdades, a moção deverá desenvolver e potenciar linhas de acção do actual Governo e não se esperam aí inovações que alterem a actual orientação.

Sobre as alterações climáticas, na moção do secretário-geral deverão constar da moção reflexões propostas de acção em relação a assuntos e sectores diversos que vão das energias renováveis à mobilidade. Já em matéria de desafio demográfico, a moção do líder abordará temas como a imigração, a natalidade, o envelhecimento e a sustentabilidade dos sistemas sociais.

No que se refere à sociedade digital, o documento coordenado por Mariana Vieira da Silva tratará de problemas diversos que vão desde a qualificação das pessoas à protecção de dados. Neste capítulo, serão ainda analisados e apontados caminhos de enquadramento social das novas formas de trabalho.

Além de António Costa volta também a ser candidato às eleições directas que vão escolher o novo secretário-geral do PS o dirigente socialista Daniel Adrião, que avança, tal como há dois anos, para poder apresentar uma moção de estratégia ao Congresso, cujas principais propostas foram noticiadas pelo PÚBLICO. Nos mesmos dias decorre a eleição directa da presidente do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas, a que se recandidata Elza Pais, cujas ideias chave o PÚBLICO também divulgou.