Retratos anti-preconceito do amor no feminino

Fotogaleria

São mulheres de todas as etnias, idades, estilos, estratos sociais e profissionais. Mulheres que gostam de mulheres — e que se parecem com todas as outras. Rita Haars Braz vivia em Berlim — onde o preconceito "é raramente ou nada sentido" — quando, numa viagem aos Balcãs, entre a Croácia e a Bósnia e Herzegovina, percebeu a bolha em que vivia. O mote para o Q Revolt - a portrait of women who love women estava lançado. Com uma série de retratos, a fotógrafa procura "quebrar o preconceito ainda existente relativo a esta minoria". E a mensagem dela parece estar a passar. Depois de uma campanha de crowdfunding, conseguiu o financiamento necessário para fazer nascer o livro e a exposição desejados. Q Revolt já esteve exposto em Berlim, em Outubro de 2017, e chega agora a Lisboa. A exposição, em parceria com a TARA Gallery, é inaugurada este sábado, dia 20, às 19 horas (Praça da Figueira, n.º 14). Além das imagens, haverá também uma loja pop-up onde, durante três dias, se vai vender os livros (a 34 euros), as t-shirts e outras surpresas (10% das vendas será oferecido à Ilga Portugal). 

 

Sugerir correcção