Humor

E se fossem animais a dizê-lo?

— Claro que quero conversar mas acabamos sempre numa competição de gritos.

Fotogaleria

— Claro que quero conversar mas acabamos sempre numa competição de gritos.

Começaram por ser só cães, mas depois todos os animais tinham algo a dizer. O bisonte que se assume bissexual perante o pai (um trocadilho com bison, a palavra inglesa para bisonte), o cão feminista que sabe como responder à pergunta "Quem é lindo, quem é?", o camaleão que não sabe de que cor realmente é e o pato que nunca desenvolveu homofobia. Henry James Garrett põe-lhes os miados na boca depois de ter desistido de um doutoramento em Filosofia, nas áreas da meta-ética e empatia, devido a ansiedade severa. Agora, sob o pseudónimo Drawings of Dogs, desenha animais antropomorfizados a dizerem coisas que não imaginávamos a saírem-lhes da boca — mas ainda bem que eles as dizem. Ou as ladram.

<p>— Às vezes acho que só me adoptaste pelos likes.</p>

— Às vezes acho que só me adoptaste pelos likes.

<p>— A Jenny não lava a toalha do ginásio há cinco meses.</p>

— A Jenny não lava a toalha do ginásio há cinco meses.

<p>— Eles nunca entenderão o nosso amor. Foge comigo.</p>

— Eles nunca entenderão o nosso amor. Foge comigo.

<p>—  Temos menos de algumas semanas para criar a melhor receita de assado de noz de todos os tempos.</p>

— Temos menos de algumas semanas para criar a melhor receita de assado de noz de todos os tempos.

<p>— Se calhar a minha ansiedade social deriva da minha necessidade de preencher silêncios estranhos.</p>

— Se calhar a minha ansiedade social deriva da minha necessidade de preencher silêncios estranhos.

<p>— Quem é um bom rapaz, quem é? — Um rapaz que faz todos os esforços para desmantelar a patriarquia (enquanto mantém em mente intersecções com outras formas de opressão)  </p>

— Quem é um bom rapaz, quem é? — Um rapaz que faz todos os esforços para desmantelar a patriarquia (enquanto mantém em mente intersecções com outras formas de opressão)

<p>—  Acho que gosto de rapazes e raparigas. — Estou orgulhoso de ti independentemente de tudo, filho</p>

— Acho que gosto de rapazes e raparigas. — Estou orgulhoso de ti independentemente de tudo, filho

<p>—  Cientistas humanos observaram comportamentos homossexuais em 1500 espécies de animais&#8230; queres fazer 1501?</p>

— Cientistas humanos observaram comportamentos homossexuais em 1500 espécies de animais… queres fazer 1501?

<p>— Porque é que eles não te comem? — Acho que eles usam o nosso cocó para alguma coisa.</p>

— Porque é que eles não te comem? — Acho que eles usam o nosso cocó para alguma coisa.

<p>—  Os meus antepassados trabalhavam em matilhas para caçar bisontes. Eu sou um cão de colo de uma senhora velhinha. — Tu proteges uma membro da tua matilha da solidão e do frio. Os teus antepassados ficariam orgulhosos.</p>

— Os meus antepassados trabalhavam em matilhas para caçar bisontes. Eu sou um cão de colo de uma senhora velhinha. — Tu proteges uma membro da tua matilha da solidão e do frio. Os teus antepassados ficariam orgulhosos.

<p>— Somos muito diferentes- — Mas somos os dois cães. Vamos brincar? — Ok.</p>

— Somos muito diferentes- — Mas somos os dois cães. Vamos brincar? — Ok.

<p>— Se te moveres muito rápido, não reparas em todas as oportunidades que tens para seres gentil.</p>

— Se te moveres muito rápido, não reparas em todas as oportunidades que tens para seres gentil.

<p>— Olá, sou uma borboleta. — Olá, lagarta. Tu és uma lagarta. (Transfobia) </p>

— Olá, sou uma borboleta. — Olá, lagarta. Tu és uma lagarta. (Transfobia)

<p>&#8211; Mãe, como sabemos quando passamos de um oceano para o outro? — Não sabemos. Fronteiras são uma construção social e tu deves ter cuidado com quem as leva demasiado a sério. </p>

– Mãe, como sabemos quando passamos de um oceano para o outro? — Não sabemos. Fronteiras são uma construção social e tu deves ter cuidado com quem as leva demasiado a sério.