William Basinski e Jlin, os primeiros nomes para o Semibreve

O festival acontece, em Braga, entre 26 e 28 de Outubro. Telectu, Keith Fullerton Whitman e Pierce Warnecke, Caterina Barbieri e SOS Gunver Ryberg são outros nomes confirmados.

Fotogaleria
William Basinski, figura tutelar da música ambiental Danilo Pellegrinelli
Fotogaleria
Jlin Mahdumita Nandi

A oitava edição do festival Semibreve de Braga, dedicado às variações mais aventureiras das músicas electrónicas, que acontece este ano entre 26 e 28 de Outubro já se agita, com os primeiros nomes a integrar o cartaz a serem comunicados. O americano William Basinski, figura tutelar da música ambiental das últimas décadas, será um dos destaques apresentando o seu último álbum A Shadow In Time (for David Robert Jones) (2017), meditação em forma de música sobre a perda de amigos e heróis como Bowie.

Curiosamente a americana Jerrilyn Patton, ou seja Jlin, que tem redefinido os limites da chamada música de dança e que solicitou a colaboração de William Basinski num tema do seu último álbum, o magnífico e muito celebrado Black Origami (2017), será outra das figuras presentes no festival deste ano. Outro acontecimento a ter em atenção será a reactivação do projecto português Telectu (num desafio conjunto do Teatro Maria Matos em Lisboa, onde actuarão a 15 de Junho, e do Semibreve), com Vítor Rua e António Duarte a interpretarem Belzebu, álbum de 1983 que Rua e o já falecido Jorge Lima Barreto editaram em 1983. No espectáculo recorrer-se-á aos instrumentos, partituras e elementos visuais originais.

Outro momento inédito será proporcionado pelos americanos Keith Fullerton Whitman e Pierce Warnecke, baseada integralmente em síntese de som e imagem. A italiana Caterina Barbieri, que apresentará o seu último álbum Patterns of Consciousness (2017), e a compositora dinamarquesa Sos Gunver Ryberg, conhecida pelas performances intensas, são outros dois nomes já assegurados. Os passes gerais já se encontram à venda.