Giuliani reforça equipa que defende Trump no inquérito da Rússia

Em causa está o processo conduzido por Mueller sobre a suspeita de alegadas relações com Moscovo durante a campanha eleitoral.

Foto
Reuters/JOSHUA ROBERTS

O antigo mayor de Nova Iorque, Rudy Giuliani, antigo procurador federal e um dos primeiros apoiantes de Donald Trump durante a campanha eleitoral, vai juntar-se à equipa de advogados do Presidente norte-americano. Segundo a Reuters, a notícia foi avançada por um dos advogados de Trump, Jay Sekulow, nesta quinta-feira.

"O Rudy é óptimo. É meu amigo há muito tempo e quer que este assunto seja rapidamente resolvido, a bem do país", diz um comunicado de Trump citado pelo advogado. 

Para além de Giuliani, a equipa vai ser reforçada com mais dois elementos. Em causa está a preparação da defesa do Presidente norte-americano para o interrogatório no âmbito da investigação dirigida por Robert Mueller. O procurador especial pretende averiguar se existiram ligações entre Moscovo e a equipa de Trump durante a campanha eleitoral e se o resultado das eleições foi influenciado pelo Governo de Vladimir Putin.

Ao Washington Post, o antigo presidente da câmara de Nova Iorque disse que encara o novo cargo na equipa de Trump como essencial para pôr um ponto final à investigação de Mueller.

"Faço isto porque espero que consigamos negociar o fim disto, a bem do país, e porque tenho a mais alta estima pelo Presidente e pelo Bob Mueller", disse.

Giuliani está a trabalhar ao lado de dois advogados: Jay Sekulow e Ty Cobb. No início deste mês, o escritório e a casa de Michael Cohen, um dos advogados de Trump, foram alvos de buscas do FBI.