No Ponto: pastéis de S. Julião

Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.

Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Pastel de ginja, pastel de moscatel, pastel Santiago, pastel caramelo, pastel de laranja de Setúbal e queijada do anjo dão uma boa amostra da incansável actividade pasteleira de Nuno Gil, na Confeitaria S. Julião, em Palmela.

Sempre presente nas suas criações está a alusão à região, quer pelo uso de ingredientes locais, como o moscatel e a laranja, quer pelo nome que lhes dá. Daí o pastel Santiago, por exemplo, que recorda o facto histórico da instalação da Ordem de Santiago no castelo de Palmela durante a Reconquista. E como se vê pela imagem gráfica das embalagens, a dedicação de Nuno Gil a todos estes doces leva-o a cuidar do detalhe. Isso obriga-nos a apreciar os pastéis um a um, provando todos.

PÚBLICO -
Foto

A Doçaria Portuguesa

Cristina Castro criou o projecto No Ponto para registar e dar a conhecer os doces do país. Tem vindo a publicar a colecção A Doçaria Portuguesa, "os mais completos livros sobre a história e actualidade dos doces de Portugal". A investigação para este trabalho levou a autora a viajar por todos os concelhos em busca de especialidades doceiras. A partir da oportunidade de ver como se faz, de falar com quem produz, de conhecer vidas, histórias e tradições associadas à doçaria, surgiram os vídeos que desvendam um pouco de cada doce. Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.