Vai nascer a Associação Portuguesa das Cidades e Vilas Cerâmicas

A associação tem como objectivos defender, valorizar e divulgar o património cultural e histórico cerâmico.

Foto
Margarida Basto

São 14 os municípios do país que vão, na terça-feira, formalizar em Mafra a criação da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas, para a defesa e valorização do património cultural e histórico cerâmico.

A associação tem como objectivos defender, valorizar e divulgar o património cultural e histórico cerâmico, promover o intercâmbio entre cidades europeias com tradição cerâmica e a criação artística da cerâmica, bem como sensibilizar as respectivas comunidades para a importância histórica e cultural da cerâmica.

"Esta é a primeira iniciativa estratégica vinda do território para preservar e promover em Portugal a tradição e a inovação cerâmica, em que o país tem um potencial imenso, uma vez que é, neste momento, o principal produtor na Europa e um dos principais exportadores para todo o mundo", sublinham os promotores da associação em nota de imprensa.

As câmaras de Alcobaça, Batalha, Caldas da Rainha (distrito de Leiria), Aveiro, Ílhavo (Aveiro), Barcelos (Braga), Mafra (Lisboa), Montemor-o-Novo, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Viana do Alentejo (Évora), Tondela (Viseu), Vila Nova de Poiares (Coimbra) e Viana do Castelo assinam, na terça-feira, a escritura de constituição da associação.

Os municípios fundadores têm como traço comum a existência de "fortes tradições ou importância económica da cerâmica artesanal, patrimonial ou industrial", referem os fundadores em nota de imprensa.

A cerimónia realiza-se no Palácio Nacional de Mafra, na presença de congéneres europeias de Itália, França, Espanha, Roménia, Alemanha, Polónia e República Checa.

A criação da associação remonta a uma reunião em Mafra, em Janeiro de 2015 e desenvolveu-se até 15 de março de 2016, onde o processo ficou concluído após uma reunião em Aveiro.

Na segunda-feira, também em Mafra, reúne-se a assembleia-geral do Agrupamento Europeu das Cidades Cerâmicas, estando confirmadas as presenças dos representantes das associações nacionais e de cidades cerâmicas de Itália, França, Espanha, Roménia, Polónia, Alemanha e República Checa.

Os quatro primeiros países são os fundadores do Agrupamento Europeu e os três restantes vão, em conjunto com Portugal, associar-se.

Um dos temas em discussão é a aprovação, pelo Parlamento Europeu e pela Comissão Europeia, de legislação para a atribuição de Indicações Geográficas de Origem para produtos não agrícolas, como a cerâmica tradicional de cada país, assim como a candidatura da cerâmica europeia a Património Imaterial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO, na sigla em inglês).